Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Vinhos

Declaração Vintage: 2016 é ano excecional para o Vinho do Porto

  • 333

Um ano desafiante que acaba por marcar uma colheita excecional: Confirmam-se as previsões de que 2016 seria um grande ano vínico: Symington, Sogrape, Sogevinus, mas também Quinta do Noval declararam-no como ano de Porto Vintage.

Os Portos Vintage 2016 são excepcionais, com taninos que estão entre os mais refinados de sempre”, garante Charles Symington, enólogo principal da Symington Family Estates. Num ano em que “interpretar correctamente os sinais na vinha se revelou crucial", os Vintage de 2016 "sustêm sabores de frutos vermelhos e intensas cores púrpuras" além de uma “estrutura e equilíbrio, com Baumé, acidez, taninos e cor num raro alinhamento perfeito".

Já para Luís Sottomayor, enólogo da Sogrape, o perfil destes Vintage, vinhos de grande “robustez e estrutura”, apresenta-se “com níveis de complexidade, cor e estrutura absolutamente excecionais, com taninos presentes, perfeitos para evoluírem na garrafa durante muitos anos”.

Os Porto Vintage 2016 revelam “um perfil clássico de Vintage”, carregados de cor e cheios de estrutura, assinala Carlos Alves, enólogo da Sogevinus para Vinhos do Porto, acrescentando que “saber esperar claramente compensou, como podemos verificar através dos resultados excepcionais que conseguimos com os diferentes vinhos”.

Também a Taylor's proferiu já a sua declaração que só chegou, cumprindo a tradição da casa, a 23 de abril. “As principais características do ano 2016 são pureza, refinamento e estrutura", destaca o diretor-geral da Taylor’s, Adrian Bridge. "O Taylor's 2016 é elegante, equilibrado e sustentado por taninos firmes de excepcional qualidade, magistralmente integrados”, revela especificamente sobre o Taylor’s 2016 Clássico. Da mesma empresa, também as emblemáticas marcas Fonseca e Croft vão contar com edições Vintage Clássico, no primeiro caso, e Vintage Croft 2016, no segundo.

Pela Quinta do Noval, o director-geral Christian Seely considera que “apesar - ou talvez devido às - condições climatéricas incomuns e extremas do ano, o resultado final é de excelente qualidade. Os vinhos são equilibrados e frescos com excelente estrutura, fruta intensa muito pura e expressiva”.

A declaração - uma confirmação, por parte dos produtores, de uma colheita de excepcional qualidade, refere-se às principais marcas destas casas. Sob a alçada da Symington estão a Cockburn, Dow's, Graham's, Warre's e Quinta do Vesúvio; para a Sogrape diz respeito a Ferreira, Sandeman e Offley, Na Sogevinus trata-se do Kopke, Burmester, Cálem e Barros e, no caso da Quinta do Noval, refere-se ao Quinta do Noval Nacional Vintage 2016, além do Quinta da Romaneira Vintage, marca com proximidade à Noval.

Exigindo atenção constante à vinha e à evolução da uva, 2016 foi um ano atípico a nível de clima: O inverno foi seco e ameno, e só quase na primavera começou a chover, condição que se prolongou durante praticamente toda a estação, marcada pelas baixas temperaturas. Aumentou o risco de as vinhas contraírem doenças, como o míldio, mas o verão, em geral ameno, trouxe picos calor e noites frias. Quer isto dizer que a maturação final foi longa e equilibrada o que terá resultado em vinhos de ótima qualidade.

Para já fica em aberto uma declaração generalizada de Vintage já que algumas grandes empresas ainda não se pronunciaram a este respeito, de que são exemplo a Fladgate Partnership (Taylor’s, Fonseca, Croft e Krohn), Ramos Pinto, ou Real Companhia Velha.

O que é uma declaração Vintage?
O Vinho do Porto, cultivado na Região Demarcada do Douro, obedece a uma série de restritas regras e condicionantes que vão do terreno às castas, passando pelo modo de transporte, conservação e envelhecimento.
No que diz respeito à declaração de ano vintage, cabe a cada casa produtora decidir, quase dois anos após a sua colheita, se o vinho é de excepcional qualidade.

A declaração de um ano Vintage representa a excepcional qualidade de uma colheita de vinho produzido num determinado ano e que lhe vai permitir envelhecer bem em garrafa.

O vinho é então submetido ao Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto que o aprecia e decide se o vinho possui ”características organolépticas de excecional qualidade”, é proveniente “de uma só vindima, retinto e encorpado”, e ainda se demonstra "aroma e paladar muito finos”. Caso corresponda, é aprovado como Vintage.

Um Porto Vintage é produzido com uvas oriundas da colheita de um único ano e é engarrafado dois a três anos após a vindima, evoluindo depois em garrafa por um período mínimo de 10 anos. O vinho vai ‘amadurecendo’ gradualmente, revelando diferentes caraterísticas ao longo do tempo. Se nos primeiros 5 anos mantém cor, aromas e frescura típicas da juventude, dez anos passados, o vinho revela-se na fruta madura e, a partir daí, adquirindo cada vez mais complexidade no nariz e na boca.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!