Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Vida

Minho vai eleger o Melhor Jovem Chefe da Região

  • 333

As reformas administrativas da geografia portuguesa tornaram praticamente impossível definir com exatidão onde começa e acaba a região do Minho. Tecnicamente está dividida em duas sub-regiões principais, Minho-Lima e Cávado, e Ave e Tâmega parcialmente. O que isto significa exatamente poucos sabem dizer e portanto decidiu-se popularmente que é seguro dizer que do Minho fazem parte os distritos de Viana do Castelo e Braga.



Cartografias à parte, uma coisa que se sabe com certeza absoluta é que no Minho se come muito e bem e que a gastronomia da região tem sido uma das grandes impulsionadoras do turismo da região, que nos últimos anos tem crescido exponencialmente. A título de curiosidade, e se dúvidas houvesse em relação ao que acabamos de afirmar, só no Guia Boa Cama Boa Mesa de 2018 estão destacados 44 restaurantes que não nos deixam mentir - dois dos quais, A Cozinha por António Loureiro e o Ferrugem, premiados com o Grafo de Prata.

Em relação à edição próximo ano não se sabe ainda quem estará na corrida pelo título mas para já vamos estando de olho na nova geração de jovens chefes que se empenham em transformar a gastronomia minhota no cartão de visita da região. Não se trata, ao contrário do que se possa erradamente assumir, de desvirtuar a tradição, antes de promover a inovação culinária através da cozinha tradicional e dos produtos locais. No fundo, criar uma nova identidade à mesa, mais jovem e criativa, elevando o perfil da produção e diversidade de ingredientes e, dessa forma, dar um empurrão ao desenvolvimento regional.



Por isso, juntam-se em Braga nos próximos dias 25 e 26 de maio alunos das escolas de turismo e hotelaria da região, chefes locais e convidados internacionais para a primeira edição do Minho Young Chef Awards (MYCA), uma iniciativa que reúne as novas esperanças da gastronomia minhota num concurso onde serão desafiados a recriar em estilo livre um dos pratos emblemáticos da região. No final, apenas 11 irão disputar o título e entres eles estará a pessoa que tenha demonstrado mais mestria, criatividade e sustentabilidade na utilização de plantas e animais endógenos endógenos. A preparação dos prato a concurso não pode exceder as 2h30 e não deve ter um custo superior a €4 por dose. O vencedor é conhecido no dia 25 de Maio.

O MYCA acontece durante a terceira edição do International Congress of Gastronomy and Cultural Heritage, que acontece nos mesmo dias em Braga sob o tema “Catering for a New Generation of Travellers”. Durante dois dias há debates, conversas com produtores, enólogos e cozinheiros locais para discutir a importância da herança gastronómica como motor da economia regional, cada vez mais virada para o turismo sustentável e produção local.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!