Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Vida

Enoturismo: 10 quintas a não perder na região dos Vinhos de Lisboa

  • 333

A área geográfica de produção dos Vinhos de Lisboa contempla verdadeiros tesouros, de Carcavelos a Colares, sem esquecer Bucelas e até Ourém, já no distrito de Leiria.

O território chancelado pelos Vinhos de Lisboa integra tanto de mundialmente conhecido, como Sintra e Lisboa, a zonas quase secretas, como Bucelas ou Lourinhã, cada uma com as suas particularidades, que as tornam, mais do que únicas em Portugal, singulares no mundo. Para ajudar na descoberta da região e dos vinhos produzidos nesta região, o Boa Cama Boa Mesa sugere um roteiro por 10 quintas produtoras. E, não esqueça, dia 12 é Dia Europeu do Enoturismo!

Quinta de Sant’Ana
Datada do século XVII, onde os 10,5 hectares de vinha recuperada sobem a colina até à Tapada Nacional de Mafra. Em 2016 foi feita a conversão para a produção de vinho biológico e criadas condições para a oferta de enoturismo. Da fundação da Quinta de Sant’Ana permanece a Capela de Sant’Ana, com a torre sineira, e a adega de traço rústico, características respeitadas pelos anfitriões James e Ann Frost, que desde 1992 se renderam aos encantos deste lugar idílico. Na vertente de alojamento, há quatro casas à disposição, com a tipologias T2, T3 e T4, uma das quais com jardim e piscina privativa (desde €700 por semana). A acrescentar, a oferta de lazer inclui ainda dois programas de provas de vinhos, com visita à vinha, à adega e à capela (desde €20 por pessoa), jantares vínicos, piqueniques e workshops.
Rua Direita, 3, Gradil, Mafra. Tel. 261 963 550

Quinta da Chocapalha
A escassos minutos da histórica Aldeia Galega da Merceana, em Alenquer, a Quinta da Chocapalha, recuperada na década de 80 do século passado orgulha-se de, em apenas quatro anos, ter conseguido trazer à vida cerca de 45 hectares de vinha. Em 2000 era apresentado o primeiro da casa e só dez anos mais tarde é construída a nova adega, agora parte integrante do programa de enoturismo da quinta, que inclui também a vinha, a cave de barricas e a prova de três vinhos (€36). O mesmo programa, seguido de uma refeição harmonizada com vinhos da Quinta da Chocapalha (€70), é outra das ofertas. Os pedidos de reserva devem ser feitos com, pelo menos, três dias de antecedência e são aceites conforme a disponibilidade da família, que faz questão de acompanhar e explicar o processo produtivo.
Aldeia Galega da Merceana. Tel. 263 769 317

Quinta do Sanguinhal
O ponto de partida é a loja, que já foi escritório de Abel Pereira da Fonseca, o fundador da Companhia Agrícola do Sanguinhal, criada em 1926. A visita é feita à capela e, eventualmente, à casa deste homem que muito contribuiu para o desenvolvimento da Região Oeste. Do programa consta ainda a prova de dois vinhos. Até à Quinta do Sanguinhal, na família desde 1910, o passeio dura 20 minutos. A visita (€22) começa na sala com 36 tonéis, guardiões dos vinhos licorosos, bagaceiras e aguardentes. A destilaria, os jardins da residência da matriarca, Maria Emília Pereira da Fonseca, e os 30 hectares de vinha fazem parte do roteiro, que termina na Sala das Prensas de Vara, com prova de sete vinhos. Com o buffet, o valor sobe para €44.
Sanguinhal, Bombarral. Tel. 914 493 231/913 116 600

Quinta do Gradil
O enorme palácio setecentista marca os 200 hectares de propriedade, dos quais 120 estão plantados com vinha. A quinta passou, em 1999, a fazer parte do Grupo Parras Vinhos, de Luís Vieira, altura em que foi feita a reabilitação das vinhas e constituída a equipa de enologia. Além dos vinhos, alguns premiados, há um (quase) infindável número de atividades de enoturismo disponíveis na Quinta do Gradil, a começar pela tradicional visita e prova de vinhos (€9, valor que sobe para €35 com almoço vínico). O menu de degustação Quinta do Gradil (€50) é outra das opções a ponderar. Com cada vez mais adeptos, as provas desportivas entre os vinhedos, como a Wine Bike Tour (em março) e o Wine Trail Run (em novembro), já fazem parte do calendário deste produtor, bem como a Experiência Vindimas (€50 por pessoa).
Vilar, Cadaval. Tel. 917 791 974

Quinta de S. Sebastião
Ao longe, até onde os olhos conseguem ir, o manto verdejante preenche a paisagem envolvente da vila de Arruda dos Vinhos, que há cerca de 20 anos conquistou António Parente, o proprietário é um apaixonado pela vinha, pelo vinho e pelos cavalos, um dos grandes encantos desta propriedade com dez hectares de vinha. A aposta de enoturismo da Quinta de S. Sebastião compõe-se, por sua vez, com três programas distintos: a Prova Flash, com visita guiada e prova de dois vinhos e snacks (€12,50), a Prova Mina Velha, com visita à quinta, passeios nas vinhas e prova de três vinhos e snacks (€18), e a Prova Quinta de S. Sebastião Premium, que inclui visita ao picadeiro e um espetáculo de dressage, além da prova de quatro néctares e respetivos snacks (€37).
Estrada de S. Sebastião, 9, Arruda dos Vinhos. Tel. 263 978 549

Quinta dos Capuchos
Em terras cistercienses, a vinha cria raízes em solo pedregoso desde os tempos dos monges, reconhecidos cultivadores da arte do vinho. São 12 hectares concentrados no Vale do Alcoa, nas encostas da serra dos Candeeiros, e que se dividem por quatro parcelas de vinha. Os programas de enoturismo da Quinta dos Capuchos dividem-se em 3 Vinhos, 3 Petiscos (€8) e 5 Vinhos, 5 Petiscos (€15), ambos com visita à vinha (duas, no caso do segundo), onde podem realizar- -se as provas, sempre acompanhadas com petiscos preparados com primor. Por marcação organizam- -se jantares vínicos/ temáticos para grupos (até 70 pessoas). A loja da adega, com vinhos e produtos regionais, está aberta todos os dias, das 9h30 às 18h30.
EN 8/6, Capuchos, Alcobaça. Tel. 262 148 444

Quinta das Carrafouchas
Datada do século XVIII, épropriedade da família de António Maria Cannas desde 1879. Para além da produção de vinhos de excelência como os Quinta das Carrafouchas branco e tinto e o Çaloyo, que usa o nome para homenagear a região saloia, na vertente de enoturismo, é o próprio que faz questão de receber e acompanhar sempre quem faz a visita. Com garantia de “boas novas para contar num futuro próximo”, para já é possível visitar a quinta e fazer uma prova de vinhos (€15) ou, a somar a esta, realizar uma visita guiada (€25) pela casa e pela vinha. Em ambas as opções há petiscos caseiros e produtos da região para provar e aconchegar o estômago. É igualmente possível organizar eventos privados e workshops (preço sob consulta).
Rua Francisco Franco Cannas, A das Lebres, Santo Antão do Tojal, Loures. Tel. 917 262 385

Sociedade Agrícola Quinta do Garrido
A Sociedade Agrícola Quinta do Garrido inclui três quintas vitivinícolas sob a gestão do produtor e enólogo Francisco Macieira que depois de voltar da Austrália, em 2003, assumiu o comando das operações, desde as experiências associadas a técnicas de transformação em tonéis e depósitos de cimento antigos na adega até a escolha da uva na vinha, localizada entre a serra de Montejunto e o “Oeste selvagem”. No programa enoturístico (por marcação) consta a visita às três propriedades e prova de quatro vinhos (dois tintos e dois brancos) ou a prova de vinhos com visita às instalações da adega e storytelling (€10 cada programa). Existe ainda a possibilidade de uma visita personalizada (preço sob consulta).
Carnota, Alenquer. Tel. 918 919 572

Casa Agrícola Nicolau
Na loja da adega, de portas abertas de segunda-feira a sábado, das 10h00 às 18h00, todos os visitantes são brindados com os petiscos de Maria Adelaide, mulher de Horácio Nicolau, que há 20 anos adquiriu a Agrícola Nicolau. Hoje, com 62 anos, conta com o apoio dos lhos, Nélson no pomar e Carlos na enologia. Estes são os principais ofícios da empresa familiar fundada em 1980 e que atualmente conta com 30 hectares de vinha. A visita (€10) inclui passagem demorada pela adega, onde a primazia é dada à casta Moscatel, a respeito da qual Horácio Nicolau diz ter sido o primeiro a plantá-la na região.
Adão Lobo, Cadaval. Tel. 962 961 634

Quinta Cerrado da Porta
Nuno Monteiro Pereira e a mulher adquiriram um pequeno paraíso com uma vista imensa para os vinhedos de Sobral de Monte Agraço. Tudo começou em 1997. Para dar início a esta nova aventura foi preciso substituir a vinha velha por uma nova e reabilitar a quinta e a casa rural do século XVIII. Hoje, a exploração vinícola da Quinta Cerrado da Porta é feita em 14 hectares de vinha, tendo a maioria sido plantada entre 2012 e 2013. A visita à adega, seguida de uma prova de vinhos (€10), requer marcação prévia e pode ser agendada para sexta-feira ou sábado, das 11h00 às 13h00. Na oferta de enoturismo inclui-se (também por reserva) um jantar vínico, de terça a sexta-feira, no Restaurante Tasca do Mercado, no Mercado de Arroios, em Lisboa. Patameira de Cima. Tel. 934 075 810

(textos adaptados a partir do guia enoturístico “Vinhos de Lisboa” by Boa Cama Boa Mesa)

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!