Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Restaurante Ignácio: a nova vida de um clássico de Braga

  • 333

Renovado mas mantendo a “espinha dorsal” gastronómica, este restaurante reabriu com a assinatura da chefe Paula Peliteiro. Serve comida regional, de toque apurado e contemporâneo, e tem uma sala petisqueira aberta durante todo o dia

O desafio era “enormíssimo”, confessava Paula Peliteiro na apresentação do “novo” Restaurante Ignácio, em Braga. Não era para menos. Em mãos, esta prendada chefe – que leva a bom porto o restaurante Sra. Peliteiro, na Quinta da Barca, em Esposende – tinha a difícil tarefa de dar vida nova a um clássico da gastronomia nortenha, cuja abertura remonta ao longínquo ano de 1934. Mas, para Paula, a dificuldade é aliciante: “Eu quero isso mesmo!”. A julgar pela casa cheia, a tarefa parece ganha à partida...

O Restaurante Ignácio reabriu ao público a 19 de junho, depois de uma “lavagem de cara”. Mantêm-se as traves grossas de madeira no teto, os azulejos, trataram-se as paredes em pedra e o espaço levou uma pintura em tons oliva, mais neutrais e elegantes. Preservou-se ao máximo o mobiliário antigo, mas com cadeiras (e iluminação) mais confortáveis. “Profissionalizar o serviço” foi importante...

À mesa, era quase obrigatório constarem pratos como o Bacalhau à Ignácio (€28, duas pessoas), embora com “apontamentos contemporâneos”. Vem com batata frita em rodela, molho tártaro e um molho de azeitona, e ainda molho de cebolada à parte. Paula Peliteiro quer “intensificar” o sabor da gastronomia tradicional e “mostrar toda a sua cor”. Há, também, Papas de sarrabulho à moda... da avó da chefe, feitas com farinha de milho (não com pão) e servidas como entrada (€4).

Na carta consta o típico Bacalhau à Lagareiro (€16), com batata à murro. E ainda Arroz solto de peixe (€17,50), Caldeirada de bivalves com filete de dourada (€16,50) e saladas. Nas sobremesas, destaque para a doçaria portuguesa, nomeadamente o Pão de ló (€4,50), Toucinho do céu com doce de chila e amêndoa (€5,50), Cornucópias de massa quebrada com doce de ovos (€4) e o Pudim Abade de Priscos (5,50), emblema bracarense. É possível encomendar – e por vezes até encontrar na ementa do dia - versões do pudim com castanhas, massa de bolo real, nozes e amêndoas.

“Quero trabalhar para o povo de Braga. Esta era a sua sala de jantar e quero voltar a oferecê-la aos bracarenses, e depois passar toda essa cultura gastronómica aos turistas”, comenta Paula Peliteiro.

O Restaurante Ignácio (Campo das Hortas, 4, São João do Souto, Braga. Tel. 911739926) tem três salas. A Sala Petisqueira Porta 10 abre ao público durante todo o dia. Há, porém, dois momentos a reter: às 18h e 23h saem panados no pão quentinhos, para aconchegar com taças de vinho.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!