Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Lampreia em Lisboa: poupar nos quilómetros, em nome da boa cozinha sazonal

  • 333

Até meio de abril, a lampreia é o grande destaque das ementas de diversos restaurantes da Grande Lisboa. Poupam-se quilómetros, em nome de um dos mais emblemáticos “ingredientes” sazonais da cozinha tradicional

Monção, Caminha, Valença, Penafiel, Gondomar, Castelo de Paiva, Penacova, Montemor-o-Velho ou Tomar são algumas das mais conhecidas zonas que dão bom nome e melhor sabor à lampreia. Até meio do mês de abril são vários os festivais e mostras gastronómicas dedicadas ao chamado “bicho feio” que, na verdade, é o protagonista de vários dos mais emblemáticos pratos sazonais da cozinha tradicional. Arroz de lampreia e Lampreia à Bordalesa são as formas mais populares de servir este famoso “ciclóstomo”. Mas, não desanime. Caso não consiga fazer-se à estrada, o Boa Cama Boa Mesa apresenta-lhe o melhor roteiro de lampreia da Grande Lisboa.

Solar dos Presuntos
Por aqui, além de muitos famosos, faz-se a defesa da boa cozinha tradicional portuguesa. Se tem dúvidas, observe as paredes do restaurante, onde se destacam as fotografias dos notáveis clientes habituais, que ajudaram a dar sucesso à casa. A sua gastronomia tradicional, com uma forte influência da cozinha regional minhota, encanta e convence. Por estes dias, o Arroz de lampreia ou a Lampreia à Bordalesa (€27,50, a dose) são objeto de romaria. Sempre permanentes estão o bacalhau à Gomes de Sá ou à Narcisa, o Arroz de lavagante, o Arroz de cabidela e o cabrito assado no forno à Monção, que casam bem com a excelente garrafeira. Refira-se que, em 2017, Evaristo Cardoso, o proprietário de fundador do Solar dos Presuntos, foi agraciado com o Prémio Carreira Boa Cama Boa Mesa.
Rua Portas de Santo Antão, 150, Lisboa. Tel. 213 424 253

Adega da Tia Matilde
A Adega da Tia Matilde nasceu em 1926, como tasca. Com o tempo foi crescendo e, verdadeiramente, multiplicando-se pelas salas vizinhas, transformando-se aos poucos num restaurante de prestígio. Os clientes mais habituais ainda olham para a mesa do canto, logo á entrada, onde, quase todos os dias, se sentava Eusébio da Silva Ferreira. É ponto de encontro de várias figuras da política e dos negócios que ali se reúnem de forma discreta. Até abril são os pratos de Lampreia à Minhota e à Bordalesa (ambas a €42, a dose, que pode ser partilhada) que encantam os clientes. Por encomenda pode ainda provar Lampreia de escabeche ou Lampreia assada no forno.
Rua da Beneficência, 77, Lisboa. Tel. 217 972 172

Adega Solar Minhoto
Com mais de cinco décadas de existência, esta adega ou, se preferir, tasca, mantém-se fiel aos mesmos princípios. É quase uma cantina para o bairro onde se instalou, mais precisamente, ao lado dos Sapadores Bombeiros, de Alvalade. Para além de mãos certeiras na cozinha, de base tradicional, tem como atributos os preços económicos e as doses generosas. A Adega Solar Minhoto mantém a filosofia de ter um prato especial para cada dia da semana, dos Rojões ao Bacalhau à Minhota, além de diversos petiscos. Apoiada na sua forte herança gastronómica, a adega também serve, por encomenda, Arroz de lampreia (€65, que alimenta até quatro pessoas).
Avenida Rio de Janeiro, 29 F, Lisboa. Tel. 218 489 493

Tasca do João
Já mudou de local e de proprietários, mas manteve a matriz gastronómica, fiel aos ensinamentos regionais minhotos, que desfilam em pratos como o Bacalhau frito à Minhota, o Cabrito assado e até nos Rojões à Tasca do João. Outros partos que enchem as medidas dos clientes habituais são os Choquinhos fritos com cebola e a Feijoada de lebre. Nas entradas, não desperdice o salpicão. Conte também com o vinho verde da casa e um serviço familiar. A extensa ementa, que conta com muitas opções por encomenda, ganha até abril, um aliado de peso, a famosa lampreia, oriunda de Vila Nova de Cerveira, servida à Bordalesa ou em arroz. Uma lampreia inteira, para partilhar, custa €85.
Rua do Lumiar, 122 A, Lisboa. Tel. 217 590 311

Solar dos Nunes
Um clássico na cidade que continua a servir a mais genuína gastronomia nacional, honrando não só os produtos de excelência como as receitas tradicionais feitas por uma cozinha experiente e competente. O Solar dos Nunes é um espaço verdadeiramente de cavalheiros, onde toda a sala e equipa fazem com que cada cliente se cinte verdadeiramente especial. A sopa rica de peixe, para duas pessoas é uma das especialidades da casa, a Cataplana de cherne com lagosta, um verdadeiro primor e um dos mais emblemáticos pratos da casa. Por estes dias, descubra ainda a oferta de lampreia, oriunda de Amarante, em arroz ou à Bordalesa (€40, com direito a seis pedaços). Aproveite ainda o serviço de valet parking, já raro nos dias que correm.
Rua dos Lusíadas, 68/72, Lisboa. Tel. 213 647 359

Gambrinus
A história conta que em 1964, foi remodelado e ampliado pelo arquiteto Maurício de Vasconcelos. A partir dessas obras, e numa altura em que Portugal era um país fechado e sob uma ditadura, o Gambrinus atingiu o estatuto de “restaurante de luxo” que mantém até hoje. Foi também da pena deste arquiteto que saíram os desenhos exclusivos dos candeeiros, das mesas com dimensões generosas e das confortáveis cadeiras em madeira e couro português, gravadas com o logótipo do restaurante. Mas era na “Barra” que as noites começavam, que se trocavam dois dedos de conversa ou se viam os artistas saídos do Coliseu dos Recreios para uma refeição “fora de horas”. São várias as “Gambrinices” servidas no Gambrinus, mas os Croquetes já foram várias vezes apelidados como os “melhores de Lisboa”. Agora, é tempo de provar outra especialidade da casa, o Arroz de lampreia (€42,50). Também prepararam à Bordalesa.
Rua das Portas de Santo Antão, 23-25, Lisboa. Tel. 213 421 466

Dom Feijão
Discretamente instalado junto à Avenida de Roma, este é um restaurante que já ganhou o seu espaço no difícil mercado da restauração lisboeta. O serviço sempre eficaz, a excelência dos produtos usados na cozinha e a confeção de base tradicional a preços honestos garantem, diariamente, casa cheia ao Dom Feijão. Os peixes são o grande emblema deste restaurante, mas as origens minhotas não passam despercebidas. Conte com pratos do dia inspirados no receituário tradicional, do cozido à portuguesa ao arroz de tamboril. Por aqui, existe a excelente e pouca vista opção de servir cabeças de peixe. Como não existe garantia que chegue em quantidade, o melhor é reservar e encomendar com alguns dias de antecedência, uma dose de Arroz de lampreia à moda do Minho (€25).

Varanda de Lisboa
O restaurante Varanda de Lisboa, do Hotel Mundial, poupa-lhe o trabalho de se fazer à estrada e apresenta, até 18 de março, um menu dedicado à lampreia. Na ementa especial do restaurante Varanda de Lisboa sugerem-se, como entradas, Ovas de sável em polme de coentros e maionese de laranja ou sopa do dia. Nos pratos principais, vai poder provar Arroz de lampreia à moda de Monção ou Lampreia à Bordalesa. Para finalizar a refeição, o difícil vai ser escolher a partir do famoso carrinho do restaurante Varanda de Lisboa, sempre recheado com sobremesas tradicionais e ainda com algumas propostas conventuais. O menu especial dedicado à lampreia custa €35, por pessoa, e acompanha com o vinho colheita particular do Hotel Mundial.
Praça Martim Moniz, 2, Lisboa. Tel. 218 842 000

Beira Mar
Qualidade no produto, cozinha afinada e uma equipa de sala equipada a rigor e atenta a todos os pormenores garantem a fama e o proveito deste restaurante. À entrada, o expositor mostra os peixes frescos do dia, um pouco mais no interior, os olhos param no aquário de mariscos. A ementa é farta de opções de cariz marinho, seja nas entradas, seja nos principais, com destaque para a Grelhada de marisco e Arroz de marisco, com lagosta, gambas e amêijoas, ambos para duas pessoas. Nos peixes, a carta apresenta um dos maiores clássicos da casa: Filetes de pescada com arroz de berbigão. No restaurante Beira Mar, desde 1973, local de peregrinação discreta para muitos outros notáveis, vai também encontrar, por este dias, a famosa Lampreia à Bordalesa (€35, a dose). Por encomenda (mínimo duas pessoas) é também preparado um tentador Arroz de lampreia.
Rua das Flores, 6, Cascais. Tel. 214 827 380

O Fiorde
Não se sabe se a lampreia chega de avião, oriunda da minhota Vila Nova de Cerveira, até ao vizinho aeródromo, mas garantidamente, a qualidade do “bicho feio” não oferece dúvidas. A lampreia é servida exclusivamente à Bordalesa (€27,50) e cada dose satisfaz duas pessoas. Aconselha-se reserva de mesa, dado ao facto do restaurante O Fiorde ser pequeno e sempre muito concorrido. Na ementa encontra ainda outros pratos de cariz tradicional, como feijoadas, mão de vaca, cabrito assado e bacalhau com batata a murro. Restaurante de bairro, justifica o nome com imagens dos fiordes noruegueses nas paredes, uma recordação do fundador, entretanto falecido, que viajou por aquelas paragens nórdicas antes de se dedicar ao negócio da restauração.
Largo dos Duartes, 152 A, Tires. Tel. 214 441 707

(Texto adptado do artigo publicado no Expresso Diário de 15/02/2018)

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!