Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Restaurante Chão do Prado: Cozinha portuguesa com twist africano

  • 333

Restaurante Chão do Prado

Na Região Demarcada de Bucelas este é um espaço onde os vinhos, produzidos pela quinta que dá nome ao restaurante, podem ser provados em exclusividade.

A formação em matemática, disciplina que lecionou, em tempos, em Cabo Verde, é o domínio preciso de João Carmona no que às contas a apresentar no final de cada refeição diz respeito. Nunca falha!

Fora esse dom, quis o destino e a paixão pela cozinha que explorasse o Chão do Prado, restaurante em Bucelas, a vila do concelho de Loures batizada de “Capital do Arinto”. Melhor ainda: o espaço de restauração onde os vinhos da vizinha adega Chão do Prado são uma exclusividade.

Além dos vinhos, no restaurante Chão do Prado (Rua Almirante Gago Coutinho, na vila de Bucelas. Tel. 936 457 259) vai encontrar uma cozinha portuguesa com twist africano. Quem garante é João Carmona que, há quatro anos, se mantém à frente desta casa vista privilegiada para a enorme vinha, que integra a Região Demarcada de Bucelas

Da sala para a cozinha, a liderança está nas mãos de Soraia Lima, cabo-verdiana e responsável pela influência africana na comida do Chão do Prado, para que, na boca, os sabores deixem de ser tão monótonos, como as Chamuças de coelho (€1,80) ou os Croquetes de touro bravo servidos nas boas-vindas.

Na ementa, o destaque vai para a famosa “Fatiota de coelho no churrasco”, servida para duas pessoas (€19,50). Ou seja, coelho desossado que, ao invés de ir ao forno, foi levado para a grelha pelas mãos de João Carmona. Inspirado no prato de coelho de São Cristóvão, no Alentejo, aprimorou a escolha do tempero feito com coentros e o alho q.b. Para acompanhar, batatas fritas com casca e a salada com nozes e passas de uvas, um dueto de combinações oriundo da cozinha tropical.

“Para as pessoas que julgam que não gostam de coelho”, João Carmona decidiu transpor para a ementa do restaurante a mesma versão, mas desta feita, com frango “criado no campo, ao ar livre”, assegura. Também a €19,50, para duas pessoas.

Outro dos pratos com muitos fiéis apreciadores é o Lombo de bacalhau à Chão do Prado (€13,50),com nabiças, broa e grão, um trio que nunca desilude. A ementa apresenta ainda, para duas pessoas, Rosbife de touro bravo (€19,50).

No final, Soraia Lima põe, de novo, a colher, desde o Queijo de cabra servido com doce de Arinto, sobremesa muito solicitada pelos apreciadores de tão peculiar casta portuguesa, até à Panna cotta com frutos vermelhos e colheita tardia, sem esquecer a Mousse mística, um dueto composto por mousse de chocolate e mousse de lima ou de laranja, e ainda com pimenta rosa. Todas estas opções custam €3,80.

Em breve, a carta de vinhos do restaurante Chão do Prado vai contar com referências de outras regiões vinícolas, nomeadamente de Trás-os-Montes, Douro, Dão, Alentejo, Algarve, além da “obrigatória” Região de Lisboa.

O restaurante Chão do Prado encerra domingo ao jantar, à segunda e à terça-feira. A reserva é aconselhada.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram