Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Sete Restaurante ou como Coimbra continua a renascer

  • 333

Ementa simples, sabores genuínos, confeções perfeitas e harmonizações irrepreensíveis, mostram que a cidade dos estudantes volta a estar na rota da gastronomia nacional

Durante anos a cidade de Coimbra foi, pode dizer-se, quase um marasmo nacional no que à restauração diz respeito. Uma mão cheia de bons restaurantes, clássicos e com história, não eram suficientes para serem uma alternativa, por exemplo, à Mealhada e ao famoso Leitão ou às propostas de marisco e peixe fresco vindas das zonas balneares do distrito. Por isso, Coimbra sempre foi uma cidade onde pouco ou nada marcava à mesa, ressalve-se, com meia dúzia de exceções.

Hoje tudo é diferente. Uma nova geração de cozinheiros, sommeliers e chefes de sala regressaram à cidade, arriscaram com projetos novos e voltam a colocar a luz ao fundo do túnel mais brilhante. Um dos exemplos que mostra a nova Coimbra da restauração é o Sete Restaurante, um projeto de Dionísio Ferreira, Paulo Pechorro e Pedro Patusco, profissionais com experiência e referências adquiridas em espaços como a Quinta das Lágrimas e o Palace Hotel do Bussaco, que prometem dar que falar.



A localização do Sete Restaurante (Rua Dr. Martins de Carvalho, 10, Coimbra. Tel. 239 060 065) é um dos trunfos da casa. Ao lado da Igreja de Santa Cruz, onde fica o histórico café com o mesmo nome, vive da revitalização da baixa da cidade e ajuda a criar uma nova movida que invade esta zona citadina, até aqui e depois do sol desaparecer, votada quase ao abandono. Depois, há os pratos da carta que se apresentam genuínos, cheios de sabores tradicionais, cartão-de-visita perfeito para os muitos turistas que procuram Coimbra e fazer reviver as memórias gustativas de alguns dos consumidores locais.



A ementa do Sete Restaurante divide-se pelos “Seis inícios possíveis”, com um saboroso “Ovo escalfado, ervilhas e chouriço de Arganil”, uma “Sopa fria de verão”, uma “Salada sete sabores com gelatina de moscatel”, “Salada de bacalhau com molho de azeitonas”, “Salmão com citrinos, molho de iogurte e aneto” e “Caldo rico de peixe e mariscos”.

As “Sete maneiras de continuar” passam pelas surpreendentes “Sardinhas crocantes, o seu arroz com cebolinhas assadas”, “Bacalhau em crosta de salsa, esmagada de batata-doce”, “Salmão corado em ervas aromáticas com couscous de tinta de choco”, “Chambão de borrego em vinho tinto com puré de castanhas”, “Empada de leitão da Bairrada com chutney de abacaxi”, “Vazia de novilho, batata recheada com queijo Rabaçal e legumes salteados” e “Polvo grelhado, batas e cebolinhas assadas e salada fresca”.



No Sete Restaurante há ainda “Sete sugestões vegetarianas” e “Sete tentações”, as sobremesas da carta, que contemplam, por exemplo, “Chocolate, coulis de morango e menta”, “O nosso Pudim Abade, molho de laranja e amêndoas salgadas”, “Panacotta de baunilha e molho de manga” e um “Prato de queijos nacionais”. O preço médio por refeição é de €30. Há ainda que contar com sete propostas de harmonização de vinhos para a sobremesa.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!