Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

O Watt: a “energia gastronómica” de Kiko Martins

  • 333

O sexto restaurante do mediático chefe aposta em comida saudável, não usa açúcares brancos nem manteigas ou banhas e muito menos serve fritos na ementa

Na carta do restaurante O Watt, liderado por Kiko Martins, antes dos pratos aparece uma espécie de manifesto, que dá de imediato a entender o caminho que o chefe pretende seguir, neste que é o sexto restaurante que abre em Lisboa. “Sempre que inicio uma corrida na montanha volto a ficar impressionado com tudo o que a natureza nos dá. Seja a terra que tantas vezes serve de panela ou as pedras quentes com que posso substituir o fogo, tudo me inspira a explorar a energia que vem dos alimentos. Escolho novos caminhos: elimino os fritos, reduzo a gordura, exploro formas de adoçar. Decido apostar em crus, grelhados e vaporizados… Divirta-se”.

Explicações feitas, segue-se então para a carta do restaurante O Watt para entender que aqui, a premissa é a comida saudável, desenhada em especial para almoços (só abre para jantar às sextas e aos sábados), e servida num cenário criado pelo designer britânico Jasper Morrison. Nas paredes há fotografias da autoria de Edgar Martins, feitas em edifícios da EDP. Nesta altura convém avisar que o restaurante O Watt fica no emblemático edifício sede da EDP e que o nome é uma óbvia referência à localização.



Regressando às propostas de Kiko Martins, n’O Watt há, nas entradas, “Tomate Bio com Burrata”, “Ceviche d’A Cevicheria”, “Poke de Atum” e o “Mini Tártaro d’O Talho”. Para ir à grelha há ainda “Cogumelos e Couve Flor”. Nos principais, também da grelha, sai a “Espetada de Polvo Galega”, o “Borrego do Médio Oriente”, as “Vieiras Mexicanas” e ainda o “Lombo de Novilho”.



Ao vapor, ainda nos principais, o restaurante O Watt tem uma proposta de “Camarão Indiano em Folha de Bananeira” e outra de “Bacalhau com Bivalves”. As sobremesas trazem propostas como “Abacaxi, Iogurte e Pinhão”, a “Barra Energética d’O Watt”, “Açai e Gaspacho de Frutos Vermelhos” e “Gelados e Sorvetes”, naturalmente adoçados, mas sem sacarose.



Com lotação para 100 pessoas, o restaurante O Watt fica no edifício da EDP, (Avenida 24 de Julho, 12, Tel. 211 369 504) e serve almoços todos os dias da semana e jantares às sextas e sábados. Preço médio: €30. Ao todo, Kiko Martins tem seis projetos em Lisboa. Ao Watt juntam-se A Cafetaria, o Surf & Turf, O Talho, A Cevicheria e O Asiático.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!

  • Restaurantes com alma peruana, porque ceviches já há muitos…

    O ceviche, prato emblemático da gastronomia peruana, parece já fazer parte, também, da cultura portuguesa, tantos são os restaurantes que servem as mais variadas versões do peixe marinado à moda do Peru. Nesta ronda, o Boa Cama Boa Mesa sugere os mais puros dos peruanos de Portugal

  • O Talho do chefe Kiko Martins

    Alia a venda tradicional de um talho a um restaurante, onde a carne é a estrela da carta. Afirmou-se, apesar da tenra idade, e a fama do chefe já não é a única razão para uma visita.

  • Novos restaurantes para provar em 2017

    A chegada de um novo ano é sempre marcante. Mais, ainda para os novos projetos, que depois de alguns meses ou semanas de funcionamento, entram em velocidade de cruzeiro, colocando-se à prova, já sem desculpas.