Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Os melhores restaurantes de Odeceixe a Sagres

  • 333

Seguindo sempre a linha de mar, partimos de Odeceixe em direção a Sagres. Provas feitas, fique a conhecer nove restaurantes de paragem obrigatória.

Dos percebes aos hambúrgueres vai uma longa distância, mas nos 59,2 Km que separam Odeceixe de Sagres, no Algarve menos dado a multidões, há opções para todos os gostos que não esquecem o peixe e o marisco fresco que por ali abundam, nem as refeições ligeiras entre mergulhos refrescantes.

Taberna do Gabão
Quando somos confrontados com um elogio pela forma que comemos o peixe - deixando apenas as espinhas - é sinal de que aqui se aprecia o respeito pela matéria-prima. Naturalmente que pela localização, na simpática Odeceixe, grande parte dos clientes são estrangeiros e por tal um tanto avessos a vísceras e outras partes que não sejam lombos. Um desperdício. Por isso, para além da seleção diária de peixe fresquíssimo e de outras iguarias que enaltecem a qualidade dos produtos locais, como a feijoada de búzios e o bacalhau assado, na Taberna do Gabão também há opções de carne, como o naco de novilho à francesa e a carne de porco à alentejana. Preço médio: €15.
Rua do Gabão, 9, Odeceixe. Tel. 282 947 549

Cervejaria Mar
Por mais estranho que possa parecer - e parece! - nunca foi muito fácil encontrar mais de um par de bons restaurantes de peixe em Aljezur. A proximidade da costa justificava que por aqui brotassem como cogumelos, mas só este ano é que a oferta se começou a compor. A Cervejaria Mar veio, precisamente, remendar a falha e trouxe para o centro da vila uma casa que honra a matéria-prima do mar e a tradição piscatória da região. Os donos optaram por fugir ao nome marisqueira para não afugentar os clientes, habituados aos preços inflacionados de alguma concorrência e quiseram fazer justiça ao nome da casa acrescentado ao menu um leque muito composto de cervejas artesanais portuguesas, como a Dois Corvos, a Sovina, a Praxis e a Musa, que casam na perfeição com as propostas da ementa. Para petiscar, há percebes, caracóis (uma das especialidades da casa), camarão e gambas fritas, búzios, amêijoas (preço ao kg) e pica-pau. Refeições mais completas, e sempre que possível para duas pessoas, exigem deitar o garfo à cataplana de perdiz e lagosta, ao arroz de lingueirão ou à massada de marisco. Como boa cervejaria que é, inclui ainda a passagem pelos clássicos bitoque e hambúrguer no prato. Recomenda-se, ainda, o caril de gambas, que aqui é feito com uma mistura de especiarias, como deve ser, e marisco fresquíssimo. Preço médio: €20.
Rua da Escola, 13, Aljezur. Tel. 282 994 155

Sector B
Quando um alemão se decide a acrescentar uma hamburgueria artesanal à oferta gastronómica de Aljezur, houve quem torcesse o nariz (“mais uma?”) e quem batesse palminhas de felicidade só pelo simples facto de ter mais uma novidade na terra. Em maio, quando abriu ao público, o Sector B surpreendeu ambas as fações ao anunciar que o pão seria feito diariamente na casa e a carne dos hambúrgueres misturada e moldada à mão. Não é comum oferecer tanta dedicação a um pão com carne, dirá o leitor, mas Marcos Seitler recusa-se a fazer as coisas de outra forma. E a verdade é que tem colhido os frutos de tanto empenho com clientes a voltarem várias vezes durante a mesma semana. Na ementa há oito variedades de hambúrguer (todos com 150 g de carne), um dos quais um sentido elogio à região vizinha do Alentejo, com chouriço e ovo estrelado (€7,90). Para quem gosta de picante, o Spicyburger, com bacon e queijo cheddar (€7,5) será sempre obrigatório, bem como o vegetariano (€6), feito à base de grão, para quem não alinha na proteína animal. Durante o dia servem-se também bifanas, saladas e cachorros, ideais para quem vem da praia a meio do dia ou para um jantar rapidinho ainda antes de o bar abrir, com os cocktails e espirituosas de sempre e boa música a acompanhar. Preço médio: €15.
Lote O, Urbanização Vale da Telha, Aljezur.

La Sardinha
A caminho da praia da Arrifana, os cruzamentos e rotundas podem complicar o mais hábil dos condutores, especialmente quando se anda à procura de um restaurante novo e cuja morada não corresponde no GPS. Para chegar ao La Sardinha, o bar de dois venezuelanos aberto desde abril, o mais fácil é ir seguindo as placas na estrada que vão anunciando “brunch” e “sumos naturais” e eventualmente chega-se lá. E quando já se cortou à esquerda e à direita e depois mais duas voltas para virar ali, chegar e ter um bar de sumos de fruta com sugestões feitas na hora, bem fresquinhas e vitaminadas, é tudo em bom. Na verdade, do bar de smoothies saem também batidos, cafés gelados, frappuccinos e, à noite, a partir das 23h00, cocktails frutados que não param de rodar até às 2h00. Da ementa constam apenas sugestões saudáveis pensadas para adeptos da vida de praia e mar, com as famosas Bowls de vegetais, iogurtes com fruta e granola caseira, e hambúrgueres vegetarianos. Durante o fim de semana há brunch e só nesses dias se servem os ovos Benedict, as panquecas com fruta e a french toast. Da Venezuela chegam as arepas, recheadas conforme a inspiração da cozinha (a de sardinha é divinal). Preço médio: €15.
Vale de Telha, Sector B, lote J, Aljezur. Tel. 910 790 587

O Paulo
Com vista rasgada para a praia da Arrifana, o restaurante O Paulo é um oásis para os amantes dos sabores do mar e do mar propriamente dito. O Paulo, o peixe e a vista para a Arrifana. Esta poderia ser uma forma de resumir o conceito deste restaurante. A panorâmica privilegiada, sobre o Porto da Calheta e a Pedra da Agulha, é só mais um ponto a favor, ainda que as estrelas da casa sejam o peixe fresco e o marisco. A mariscada à Arrifana, com uma seleção de mexilhão, ostras, camarão, sapateira, amêijoa e lingueirão, e a massada à Paulo, que acrescenta à seleção de pescado fresquíssimo o lavagante, as canavilhas e os percebes são duas excelentes opções. No verão, não vá sem reservar! Preço médio: €25
Arrifana (junto à Fortaleza), Aljezur. Tel. 282 995 184

O Sítio do Rio
Não se espere mais (e esta é uma grande virtude nos dias que correm) do que um espaço simples, com uma cozinha honesta e peixe e marisco fresquíssimo. Assim se apresenta este pequeno restaurante, localizado na estrada de ligação à famosa Praia da Carrapateira. Não se distraia com o excelente pão, que entretém com as saladas, porque o melhor está nas mãos de Patrício Ferreira, proprietário e dono da grelha. Conte com peixes do dia, muitos pescados a partir das arribas da Costa Vicentina, muito bem acompanhados por batatas assadas com molho especial. No restaurante O Sítio do Rio existe também uma boa oferta de marisco, que merece ser apreciado. Preço médio: €25.
Estrada da Praia da Bordeira, Bordeira, Aljezur. Tel. 282 973 119

Cato
Até há bem pouco tempo chamava-se L-Colesterol e há muitos anos que era paragem obrigatória para quem passava pela Carrapateira à procura de uma calma que nem sempre é fácil de encontrar na Costa Vicentina. Este ano, há pouco mais de um mês, resolveu-se a questão e a casa chama-se, agora, Cato. Manteve-se o espaço, a decoração e, sobretudo, a intenção de criar uma cozinha que rejeita todo o tipo de alimentos processados ou de origem desconhecida. O peixe é o da costa, a carne (a pouca que consta da ementa) de produtores certificados, o pão é caseiro e cozido no forno a lenha e os legumes, frutas, ovos e aromáticas vêm da horta biológica que ocupa as traseiras da casa. Sabores frescos e honestos que não alinham em facilitismos e que, por isso mesmo, se mantêm fiéis às estações e aquilo que a terra oferece. Para picar sugere-se o hummus com chips de tortilha, a meia desfeita de polvo com grão e a tortilha da horta com caviar de beterraba. Para refeições demoradas, que devem sempre acontecer na esplanada depois de uma caipirinha ou um copo de vinho da região, o bife de touro oferece 300 gramas de carne de pasto acompanhada de batatas assadas e legumes grelhados. Para as pausas de almoço em dia de praia, há hambúrgueres de carne e vegetarianos. Preço médio: €15.
Horta do Rio, 8670-230, Carrapateira, Aljezur. Tel. 282 998 147

Tasca do Careca
Casa simples e familiar que serve sem cerimónia e de sorriso rasgado e em várias línguas, tal a afluência de turistas curiosos com esta tasca típica. A televisão marca a banda sonora da sala, especialmente à hora das notícias, mas a maior parte dos clientes é alheio à distração, já que há coisas mais importantes a merecer atenção - nomeadamente o que chega à mesa. A sopa de peixe é um clássico da Tasca do Careca, mas também acontecer que o prato dia passe por umas costeletas com batata frita, que de comum têm muito pouco, a julgar pela marinada deliciosa e molho bem apurado. Termine com a tarte de alfarroba, obrigatória. Preço médio: €15.
Rua Primeiro de Maio, 4 A, Vila do Bispo. Tel. 282 639 478

Café Correia
Não há aqui grandes pretensões, a não ser a de servir comida genuína, de tacho, cheia de sabores e de tradição. Não há também tempo para pressas, nem refeições que demorem muito tempo. Aqui as coisas querem-se com calma e não se fazem de outra maneira. Na cozinha do Café Correia está o dono da casa, na sala a esposa, que mantém no sofá as agulhas e as linhas, dando sinal de que recebe cada um como se estivesse (e está) em casa. Portanto, deixe-se levar pelas propostas do dia, que podem ser o frango em tomatada ou o coelho à Correia. Recorde-se que, no mínimo, cada um dos pratos demora meia hora a confecionar. Carta de vinhos competente a elogiar o Algarve. Preço médio: €25.
Rua 1.º de Maio, 4, Vila do Bispo. Tel. 282 639 127

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!