Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Novos restaurantes de peixe: Do mar para a mesa, é ao gosto do freguês

  • 333

TPHOTOS

Da costa portuguesa chega aquela que é considerada uma das melhores seleções de peixe do mundo. Conheça seis novos restaurantes especializados na matéria-prima trazida todos os dias do mar

Para escolher ao peso, em versão Brunch ou para levar diretamente da banca do mercado para a mesa, há opções para todos os gostos, desde as tradicionais a outras mais exóticas. Conheça seis novos restaurantes de peixe que prometem agitar o mercado da restauração.

Nova Peixaria Mercado
Antes de subir à sala de refeição, deve o cliente passar pela banca de peixe do piso térreo e escolher o que quer no prato. É esta a proposta da Nova Peixaria Mercado, um espaço inovador aberto há pouco mais de duas semanas, que nasce do casamento feliz entre uma peixaria e a marca de restaurantes Nova Peixaria, já instalada no Campo Pequeno e no Parque das Nações. A ideia é que o novo espaço no Prior Velho seja abastecido pelo peixe mais fresco da costa portuguesa e que, se for essa a intenção, o cliente possa levá-lo para casa em bruto ou pronto a cozinhar. Ou comê-lo no local, confortavelmente e a preço simpático.
Sujeito ao que o mar entrega a cada dia, conte sempre com uma variedade imensa de espécies nacionais, como o linguado, o pargo, o cantaril, chocos, lulas, amêijoa, lingueirão e conquilha, bem como robalo, cherne, besugo e até ovas de pescada. O preço médio da refeição ronda os 16€ e inclui um copo de vinho - há boas referências a copo -, sobremesa e café. O peixe é cozido ou grelhado na hora e acompanha com batata cozida e legumes ao vapor. A dose individual ronda os 300 a 400 gramas. A boa notícia é que quem chegar cedo à banca (abre de terça a sábado das 7h00 às 12h00) pode ter a sorte de conseguir uma cabeça de peixe. A partir dessa hora, a venda de peixe é exclusiva a retalhistas e clientes do restaurante.
O restaurante está aberto ao almoço e serve jantares de grupo mediante reserva.

Água pela Barba
Do antigo Isco, que ocupava o espaço agora transformado no restaurante Água pela Barba, resta apenas o conceito dedicado ao universo piscatório e respetiva matéria-prima. Mudou-se a decoração, deu-se uma “limpeza” na sala e nasceu, no final do ano passado, um espaço sóbrio que, apesar da mudança, mantém a aposta no peixe e marisco frescos e passa também a incluir na carta algumas opções de carne. Passou, no essencial, de um restaurante de peixe para outro restaurante de peixe e trouxe da primeira casa alguns pratos de sucesso, como o Taco de Peixe Frito (€10) e o Mexilhão das Índias - porque em equipa que ganha não se mexe. Do mar diretamente para a Rua do Almada, na Bica, é obrigatório passar o garfo pelo ceviche de salmão, pampo e puré de batata doce (€9), o Arroz D’Oro, um dos ex-líbris da casa que consiste num risotto cremoso de camarão e açafrão (€14) e o polvo grelhado com creme de grão de limão (€14). No que à carne diz respeito, há duas sugestões imperdíveis: a sandes de cachaço com mostarda (€5), para acompanhar com uma imperial bem geladinha, e a bochecha de porco preto com puré de batata doce e amêijoa (€14). Ao almoço, há um menu especial por €11 que inclui sopa, prato e café.


Peixola
Tem a configuração de uma cervejaria clássica, com um balcão corrido e cadeiras altas. Está aberto desde o início do ano e traz uma novidade: aqui não há mesas e da carta não consta uma única opção de prato de carne. Portanto, não é errado dizer que o Peixola é o primeiro (e o único) restaurante no eixo Chiado- Cais do Sodré, em Lisboa, a apostar numa ementa exclusivamente dedicada ao peixe. O único prego possível é o de atum (€15) e o pica pau (€10) também. Para além disso, há ceviche peruano com cebola roxa e abacate (€11), tacos de camarão e bacalhau (a partir de €6) e, numa perspetiva mais tradicional, bacalhau à minhota (€16) e filetes de peixe-galo com puré de wasabi (€14,5).
Para beber, os cocktails à base de rum ocupam grande parte da lista, onde não faltam boas referências de vinho branco a copo (há apenas um tinto, um rosé e um espumante). Ao fim de semana a sala é animada com Dj set ocasional.

Ruga´s
Qual é a probabilidade de um restaurante de Matosinhos não servir peixe fresco? Pouca ou nenhuma, dirá o leitor. Pois que o restaurante Ruga’s, na Rua de S. Sebastião, não quis deixar ficar mal a terra que o viu nascer mas também não quis embarcar na onda do costume e ser mais um num leque (imenso) de restaurantes vizinhos dedicados aos sabores do mar. Então agarrou na matéria-prima e decidiu tratá-la de forma tradicional, com opções ao Kg grelhadas e cozidas, e numa vertente mais original que se vê nas sugestões de pastas italianas. Para começar, as clássicas salada de polvo com molho verde (€4), as amêijoas à Bulhão Pato (desde €10) os as gambas ao alho (€4) são obrigatórias. Depois, pode passar à matéria a sério, escolhendo da montra do dia o exemplar que quer no prato. Dourada, robalo, polvo, lulas ou bacalhau na brasa são alguns dos favoritos da carta que, como sempre, depende do que o mar decide oferecer no dia. Constantes são o linguini mediterrânico (€8) e o tagliolini com gambas e amêijoas (€9,5). Termine com o pudim de mascarpone com coulis de frutos vermelhos (€3,5) ou o doce de três leites (€3). No verão, aproveite a esplanada, que acrescentou mais 20 lugares aos 30 da sala interior. Está de portas abertas desde fevereiro.

Pesqueiro 25
Estreou-se há cerca de uma ano com o primeiro restaurante em São Martinho do Porto (agora com o nome Pescaria Final), no número 25 da Rua Cândido dos Reis, e chegou a Lisboa em Abril deste ano, precisamente no dia da Revolução dos Cravos. Instalado na rua Cor de Rosa, no Cais do Sodré, o Pesqueiro 25 trouxe à cidade uma receita de sucesso: peixe fresco da costa portuguesa confecionado com a mestria de quem conhece bem os sabores do mar. João Diogo Mendes e César Lourenço são os homens à frente dos tachos e das panelas e, ao mesmo tempo, sócios de Alexandre Mota, Marco Viveiros, Pedro Cleto e Pedro Teixeira, proprietários do 262 Authentic Suites, o hotel vizinho de cima do restaurante.
O mar chega à mesa numa carta que varia ao sabor das estações e dos mercados, sempre baseada no mar mas sem esquecer, como boa cervejaria que é, o clássico Prego do Lombo (€9,25) para rematar a refeição. Conte, sempre que o mar quiser, encontrar na carta Camarão à Guilho (€15,25), Percebes da Berlenga (€82,25/kg), Carabineiro grelhado (€88,25/kg), ou, para partilhar, as duas opções de “Tábua de Marisco”, em versão Super Nova (€64,25) ou “Super Nova Elite” (€94,25). Recomenda-se a “Sopa de Lavagante com Ovas” (€6,25) e, para duas pessoas, o “Arroz de Marisco” (€64,25) e o “Arroz de Lavagante” (€76,25). A carta de sobremesas é igualmente vasta e de referência local com três tipos de Pão-de-ló: tradicional, canela e chocolate.
Durante o verão, surpreenda-se com um original Brunch de Marisco (€41,25), servido de terça-feira a domingo, das 12h00 às 15h00, onde encontra para além do tradicional pão torrado com manteiga, uma seleção de carnes frias e queijos e saladas para ir apreciando com calma até chegarem os pratos principais. À tábua com percebes, canilhas, sapateira, búzios, burrié, camarão da costa, camarão de Moçambique ou lagostins, juntam-se ainda um picadinho de búzios com camarão, camarão à la guillo e amêijoas à Bulhão Pato. Estão incluídas duas bebidas frias - água e café são à discrição.

Cervejaria Liberdade
Marisco e peixe fresco da costa, pregos do lombo, cerveja estupidamente gelada, sushi e ceviche. Aqui não há toalhas de papel, imperiais com excesso de espuma tal a força com que aterram na mesa nem aquele barulho de fundo que obriga a subir o tom de voz para manter uma conversa. A Cervejaria Liberdade, instalada no renovado Tivoli Lisboa, rebatizado de Tivoli Avenida Liberdade Lisboa, carrega às costas a herança de sucesso da antiga Brasserie Flo e sem abandonar o elogio à portugalidade, vestiu-se com uma nova imagem para redefinir o conceito da típica cervejaria. O balcão de sete metros com cadeiras altas da nova Cervejaria Liberdade convida a um Prego no pão (€9,50) e uma imperial ao final do dia, mas é em torno do peixe e marisco fresco da costa que assentam as especialidades da casa, que não esquecem o sushi (a partir de €8) e o ceviche de salmão, atum e peixe branco (€18) na oferta. Como boa cervejaria não esquece as mariscadas (a partir de €65) e os clássicos Filetes de peixe-galo com arroz de tomate malandrinho e Arroz de garoupa com camarão (€29). Termine com o Duo lisboeta de arroz doce e leite-creme(€8,80), uma invenção da casa.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!