Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Hoje é Dia Mundial da Tapa! Celebre-se a cozinha de “nuestros hermanos”

  • 333

Mesón Andaluz

DR

Todos os dias são bons para celebrar… à mesa. E as tapas são uma boa forma de o fazer. Importadas do lado de lá da fronteira, estes petiscos à espanhola ganharam fama e espaço nos restaurantes nacionais.

Hoje, dia 15 de junho, celebra-se o Dia Mundial da Tapa. O Boa Cama Boa Mesa apresenta uma rota de tapas com oito paragens, em Lisboa e no Porto, para que possa saborear os melhores ovos rotos, as icónicas batatas bravas, os sempre apetecíveis pimentos padrón e o presunto ibérico, como se a fronteira se fechasse amanhã.

Tapisco
É o resultado da aglutinação das palavras “tapa” e “petisco” e surgiu de mais um rasgo forte de inspiração de Henrique Sá Pessoa. O significado de "Tapisco" é, portanto, exatamente esse em que está a pensar. Sim, é um restaurante de assinatura que rasga a convenção do fine dinning a que o chefe nos tem habituado e que, em vez e com semelhante elegância, se vira para o petisco ibérico. Para comer com as mãos quase sempre e partilhar sempre que possível, a carta do restaurante Tapisco corre os quatro cantos da gastronomia do país vizinho e junta-lhe algumas especialidades de cá para compor uma ementa arrojada. Os Huevos Rotos são uma entidade em Espanha e por cá, embora muitos já o tenham tentado, poucos conseguem dignificá-los como Sá Pessoa. Ao Tapisco chegam em duas versões, uma com morcela (€11) ou Paletilla ibérica (€12), mas são os mesmos ovos frescos que servem também de de matéria-prima à Tortilla de Patata (€6). Para ir picando e enfiando o garfo em prato alheio, a lista é extensa e bem curada. A saber: há saladas de polvo ou ovas (€12), com tempero no ponto, Croquetas de Jamón Ibérico (€4), Choco frito com maionese de coentros e lima (€12), tábuas de enchidos e queijos e as clássicas Patatas Bravas (€6). Os nomes dos pratos em castelhano não foram gralha nossa, é assim que estão apresentados na ementa - para que não haja dúvida de que no Tapisco o respeito pela origem é levado muito a sério. Acompanhe com cerveja gelada ou vermute que, acreditamos, será o próximo gin em fama e proveito.
Rua Dom Pedro V, 81, Lisboa. Tel. 213 420 681

Taberna Ibérica
Com um misto de comida espanhola e portuguesa, a Taberna Ibérica funciona como o ponto de encontro entre os dois povos, as duas culturas e a gastronomia. É conhecida pela longa ementa de tapas espanholas - em bom rigor são seis páginas de sugestões - e pela extensa carta de cocktails e espirituosas no geral. É, portanto, local de alegria, boa conversa e muito boa mesa. Raciones e tapas, mais de meia centena, chegam para ter um gostinho do que se pica para lá da fronteira. Calamares, croquetas, revueltos, tortilla, polvo à galega, presunto, patatas bravas ou cogumelos recheados são os clássicos indispensáveis e chegam à mesa em doses generosas. Para variar, há Mexilhões em escabeche (€7,50), Petinga em vinagrete (€5), um original Chouriço cozido em sidra (€6) e Costeletazinhas de porco com molho barbecue (€8,50). Acompanhe-se com uma caña bem fresca ou com o tradicional Rioja (vinho tinto espanhol).
Praça da Alegria, 66, Lisboa. Tel. 213 476 023

Méson Andaluz
Só não tem a designação de restaurante itinerante porque (esperamos) fixou finalmente morada na Rua do Alecrim, em Lisboa. Antes o Méson Andaluz já tinha andado pela Parede e por Cascais e contas feitas, já são 30 anos de serviço ao serviço da cozinha tradicional espanhola - a para picar e a outra, de faca e garfo. A carta arranca com uma seleção de tapas que combina as tradicionais com sugestões mais apuradas e outras completamente fora da caixa, como é o caso do Gazpacho Andaluz com sorvete de tomate anchova e algo mais (€6,50) ou Ovos Rotos com virutas (lascas) de jamón e trufa negra (€7,50). O ambiente não é de tasca, a confeção também não podia ser. A Canja de perdiz em crosta de massa folhada (€9,50) é obrigatória antes de passar para as Espetadinhas de porco (€5,50) ou para as Mini lulas fritas (€6,50), sempre casadas com umas batatas bravas e um Revuelto de ovo com presunto e espargos. O mesmo presunto pode ser comprado na charcutaria do restaurante, para levar para casa ou acrescentar à refeição.
Travessa do Alecrim, 4, Lisboa. Tel. 214 600 659

Arola
A designação de restaurante do mundo assenta-lhe na perfeição. A carta do Arola, no Penha Longa Resort, em Sintra, viaja pelos sete continentes e demora-se em todos eles mas não esconde uma certa inclinação para a tradição ibérica à mesa. Um restaurante onde o couvert vem com lista de instruções, “o tomate e o alho devem ser cortados e barrados no pão e regados com azeite e sal”, já se sabe logo à partida que conhece bem o lugar e o funcionamento das coisas. E, portanto, é uma aposta ganha. A informalidade da carta, apostada em pratos para partilhar, combinada com o rigor do chefe Sergi Arola, resultam numa interpretação contemporânea das tapas tradicionais, como se comprova nos Croquetes de pato fumado (€6), nos Ovos e Batatas, inspirados nos ovos da Casa Lucio, em Madrid, com batata salteada em alho e salsa, com presunto Castro y Gonzalez e ovo (€14) ou no Porco Ibérico, que aqui é servido em carpaccio, com pickle de malagueta, parmesão, maçã verde e pistachio (€18). Para picar sem medo de sujar as mãos, as Asas de frango glaceadas em kimchi e cebolo laminado (€8) são uma obrigação.
Penha Longa Resort, Estrada da Lagoa Azul, Sintra. Tel. 219 249 011

Volapié Tapas Y Copas
A envolvência da praça de Touros é capaz de ter contribuído para a exacerbação da cultura ibérica mas no caso do Volapié Tapas Y Copas as manifestações culturais ficam-se pela parte boa, a da comida. Cozinha tradicional espanhola sem pretensões, num ambiente descontraído e que pede umas cañas e umas croquetas ao balcão. Para além da Muxama de atum (€7,50), dos Boquerones (€6,50) e da tábua Volapié, com queijos e enchidos (€29,50). Para assinalar o Dia Mundial da Tapa, o restaurante destaca uma novidade: o Montadito de bacalhau e tomatada (há mais de uma dezena de montaditos na carta para provar).
Praça de Touros do Campo Pequeno, Loja 608, Lisboa. Tel. 217 930 043

Mesón de Tapas
Filho de peixe sabe nadar e o Mesón de Tapas confirma a profecia. Instalado na cadeia espanhola El Corte Inglés, é um digno representante da gastronomia do país, com uma carta que convida a “tapear” sem cerimónia, com Boquerones temperados, lulas fritas com molho picante (€6,20) ou Pimento de piquillo recheado com sapateira (€2,80). As Bochechas de porco preto (€6,20) e o queijo Manchego frito são os vencedores indiscutíveis da carta mas por €1,95 pode deixar-se ficar nas mãos do chefe e embarcar numa tapa mistério feita com os ingredientes do dia. Na charcutaria, os queijos, enchidos e carnes frias podem ser servidos no momento ou embrulhados para levar.
El Corte Inglés, Av. António Augusto Aguiar, 31, Lisboa. Tel. 213 711 700

The Wine Box
Quer venha pelo vinho, quer seja pelas tapas, daqui sairá sempre com a sensação de missão bem cumprida e com os níveis de satisfação a rebentar a escala. O The Wine Box, um dos segredos mais bem guardados da zona da Ribeira do Porto e, como o nome já deixa perceber, é uma garrafeira que por acaso também serve boas tapas espanholas. Para beber há mais de 450 referências de vinhos nacionais, para petiscar mais umas dezenas de opções e uma categoria exclusivamente dedicada ao casamento perfeito entre o ovo e a batata, com um terceiro elemento que pode ser bacon ou molho picante, em forma de tortilha, frita às rodelas ou esmagada. De resto, não faltam o Polvo à galega (€12,50), a Punheta de bacalhau com pimenta preta (€4,50) e os Camarões em alho (€9,90). Não deixe de passar o garfo pela Açorda de gambas com ovos de codorniz (€7,50), enquanto vai tentando a sorte com os Pimentos padrón, dos quais, já se sabe, há sempre um que não perdoa.
Rua dos Mercadores, 72, Porto. Tel. 222 034 100

Traça
Quem entra no restaurante Traça sem saber ao que vai sai sem perceber bem como é que um jantar tradicional a três tempos, com entrada, prato e sobremesa, se transformou numa degustação de tapas espanholas. Logo na primeira página da carta é tomada a decisão de não avançar para os pratos completos, afinal meia dúzia de sabores diferentes valem mais do que só dois ou três. Aconselhamos a escolha de um vinho que transite facilmente entre carne, peixe, ovos e verduras para não quebrar o ritmo da refeição. Comece com os Croquetes de cecina, Presunto de vaca, ou com os Tradicionais de jamón (€7) para ir preparando o palato para o que se segue: uma Sertã de morcela com ovos, batatas e pimentos (€12), as Gambas crocantes com musseline de alho (€12) e, porque não, o Enrolado de porco panado com presunto e pimento piquillo (€7). Se ainda tiver coragem, as Mãozinhas de porco com gambas (€7,50) valem bem o sacrifício.
Largo de São Domingos, 88, Porto. Tel. 222 081 065

(Texto publicado no Expresso Diário de 14/06/2017)

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!