Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Restaurante Torreão: Salvar o mundo, uma refeição de cada vez

  • 333

A vista é de cortar a respiração, a cozinha é contemporânea, de base tradicional, o serviço é cuidado e atencioso, a localização é central e a decoração é elegante e acolhedora. Mas não é nenhum destes elementos que faz do Torreão um restaurante verdadeiramente especial.

Nascido no verão de 2016, há mais de uma década que se desenha, pela mão de uma equipa multidisplinar que tem a seu cargo a formação, académica e social, de turmas de alunos que vão trabalhar em áreas como a restauração e a hotelaria. A escola insere-se na SAOM, uma instituição de solidariedade social a trabalhar no centro do Porto no apoio a pessoas carenciadas, entre crianças, idosos e pessoas em situação de pobreza.

O Torreão faz parte de um projeto mais abrangente cujo objetivo é (re)incluir na sociedade pessoas outrora marginalizadas, pelas mais variadas razões.

Susana, nome fictício, era uma doente mental 'profunda' quando chegou à SAOM. Hoje, competente e funcional é uma rapariga 'normal', uma das funcionárias do restaurante. Armando - nome também fictício - conhece bem as manhas da rua onde viveu durante décadas, sem teto. Hoje, nada denuncia a dificuldade no trato pessoal que perdeu ao longo de anos à margem da sociedade. Carlos, 63 anos, demasiada idade para encontrar emprego, é um competente e atencioso empregado. Elementos de uma equipa que pode encontrar numa visita a este restaurante situado junto às Virtudes (Rua das Virtudes, 37, Porto. Tel. 222 002 424).

Segundas oportunidades
Torreão é uma torre, situada na esquina de um edifício, neste caso, erguido sobre uma muralha datada do séc. XIV. Tal como o nome, também este projeto é um pilar na vida da pessoas que o compõem. Susana, Carlos, Armando, nomes fictícios, dão corpo a uma história de superação que é a cara deste espaço solidário. Viveram marginalizados, que é como quem diz, à margem da sociedade, durante anos a fio, até conhecerem a SAOM e o seu projeto de inclusão social pela formação e pelo emprego.

"Ensinar tarefas mecânicas, como tirar as espinhas a um peixe, é fácil. Difícil é trabalhar a parte emocional e social, de comunicação e contacto humano", assegura Luísa Neves, coordenadora do projeto.

Aos comandos da cozinha está o chefe Carlos Correia que coordena uma equipa eclética com diferentes origens e histórias de vida, nenhuma delas fácil ou linear. Doenças mentais, comportamentos abusivos, vidas no limite compõem o cardápio de histórias intensas que aqui se encontram, mas cujos gestos seguros em nada denunciam.

Cozinha contemporânea
Bochechas de porco preto confitadas com puré cremoso de grão de bico e espinafres (€13,50); Bacalhau lascado em crosta de broa (€13) ou Costelinhas de porco preto em vinha d'alhos (€6), como entrada, são os pratos mais procurados que se mantém na carta mesmo quando esta muda, de modo a respeitar a sazonalidade dos ingredientes, três vezes ao ano.

Cogumelos selvagens em molho de vinho do Porto (€9); Mini folares de Lamego (€4), Rojões com castanhas de Trás-os-Montes (€6) nas entradas, que também funcionam como petiscos, revelam a vocação tradicional e regional deste restaurante. Espetadas de atum marinado com ananás (€13); Risotto de tamboril e gambas com coentros (€14); Coroa de borrego com molho de mel e figos (€19) ou Folhado de caça com puré de maçã (€18) são opções mais vanguardistas. Na confeção percebe-se o respeito pela tradição ao mesmo tempo que se inova numa abordagem a corresponder ao enquadramento elegante, sóbrio e contemporâneo do espaço.

À sobremesa, a mesma dinâmica: Sabores tradicionais reinventados, como Ovos moles das Virtudes (€4,50) ou Mousse de requeijão com doce de abóbora (€6) convivem com o Chocolate geométrico (€6) ou a Tarte de limão, azeite e sal marinho (€5).

Um terraço panorâmico
Ao almoço, diariamente, de segunda a sexta, um menu executivo oferece sopa ou entrada, prato de carne ou peixe, bebida e café por €9,50. Acrescentar sobremesa fica por mais €2,5.

Nos vinhos, a aposta e também numa seleção de qualidade a preços pouco inflacionados, com diversas sugestões a copo.

Apesar de no inverno ser mais apetecível uma das duas salas do restaurante, não deixe de visitar o terraço com uma inspiradora vista de 360 graus onde, na primavera e verão, também se servem petiscos e vinhos, a partir da 19h00.

A par do restaurante convive um bem-sucedido espaço de eventos cada vez mais procurado. Para o futuro, os sonhos são mais que muitos e ajudam a pensar num mundo que pode ser mais justo, solidário, enfim, melhor, capaz de dar segundas oportunidades a quem as quer aproveitar. Outro restaurante, um pequeno hotel e o alargamento do apoio a pequenas reparações domésticas são projetos a alcançar nos próximos anos.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!