Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Há mais Lisboa no restaurante Flores do Bairro

  • 333

Rabanada de brioche e baunilha com maçã assada num gelado

Chegado à capital há cerca de um ano, o chefe Bruno Rocha tem implementado, gradualmente, a sua visão no restaurante do premiado Bairro Alto Hotel. A nova carta já está disponível

Quando chegou, em janeiro, oriundo do EMO Restaurante do algarvio Tivoli Vitoria, Bruno Rocha aventurou-se numa nova realidade, com o desafio de encontrar, no cosmopolitismo e multiculturalidade de Lisboa, rumos diferentes para a cozinha do restaurante Flores do Bairro, localizado no piso térreo do premiado (e em mudança) Bairro Alto Hotel (Praça Luís de Camões 2, Lisboa. Tel. 213 408 288), no coração do Chiado.

“Seguindo um tripé, com Portugal na liderança, a técnica francesa e o minimalismo asiático, a cozinha do Flores do Bairro mostra-se a Lisboa com arte, empenho e generosidade”, Bruno Rocha anunciava-se na capital. Logo na primeira carta, percebeu-se a pesquisa e a interpretação de pratos “de Lisboa” e a aposta na vertente mais petisqueira e informal, destacando-se sugestões como “Meia desfeita de bacalhau com grão-de-bico negro”, um prato típico da Mouraria bastante estimado por grandes escritores como Eça de Queiroz e Ramalho Ortigão, “Os peixinhos da horta”, e ainda “A Amêijola veste-se de Bulhão Pato” que ficaram para sempre ligadas ao escritor e grande gastrónomo. Também “lisboeta” apresentou-se “Pregado e pata negra, molho da fragateira”, com o caldo a remeter para os convívios dos pescadores do Tejo. Na memória, da primeira carta, ficou também o inusitado e surpreendente tártaro vegetal, preparado “apenas” com tomate.

Ao longo do ano, as criações do chefe Bruno Rocha foram evoluindo e, a chegada dos dias mais frios, marcou também a entrada de uma nova carta no Flores do Bairro. Mantém-se alguns dos best sellers da casa como os viciantes “Chips de corvina”, agora propostos com maionese de limão (€11,50), bem como uma atualização dos “Camarões da Mouraria” (€12,90), que levam o chefe até aos caminhos mais asiáticos que tanto gosta, e os saborosos “Croquetes de pato com chutney de manga verde” (€6,75).

Na nova carta, recupera-se e bem, um dos mais desejados “petiscos entradeiros” da cozinha lisboeta de outros tempos: “Rissóis de berbigão” (€4,50). “Patanisca ‘chata’ do fiel amigo e maionese de ovas de salmão” (€5) é outra das entradas que merece saudação especial. E, porque Lisboa é um mundo, o chefe do restaurante Flores do Bairro também sugere “Ceviche purista de peixe branco e esparguete do mar” (€9,50) e “Batatas Bravas de mandioca” (€3,50). Alinhado com as novas tendências, Bruno Rocha também aposta na “Alface grelhada e cupita alentejana” (€3,90).

Para principais, a nova carta, sempre apostada em favorecer a partilha, apresenta diversos acompanhamentos, que podem ser pedidos individualmente e ao gosto de cada um. Intitulada “Ao Lado”, esta vertente oferece oito opções, desde “Parrillada de cogumelos e coentrada” (€3,90) até “Malandrinho de tomate”, sem esquecer as “Batatas esmurradas e avinagradas” (ambos a €2,90). Com esta novidade, é tempo de avançar para os pratos principais, onde, nos peixes, se mantém o “Polvo assim e assado”, agora com escabeche de pimentos (€16), e uma muito bem conseguida aposta no “Bacalhau ‘à Brás’ do Bairro (€16), em que o chefe mostra todas as possibilidade que tão popular prato pode ainda dar à cozinha contemporânea, destacando-se a cura do fiel amigo com alga kombu, a suavidade da ligação entre a batata e o ovo e o toque magistral do caldo de cebola. Simplesmente, guloso!

Nas carnes, alinham-se alguns dos melhores sabores da estação fria, com destaque para a caça, representada pelo “Arroz de Perdiz e feijão manteiga” (€14). Outra opção é a “Presa de porco Ibérico e maçã verde" (€13). Para os apreciadores e, de novo alinhado com as tendências, existe ainda um saboroso “Steak au poivre, vazia de novilho maturada e molho de pimentas” (€19). Nas, cada vez mais procuradas, opções vegetarianas, Bruno Rocha brinda os visitantes com “Carolino de abóbora assada e funcho, amêndoa e queijo da Ilha” (€9) e “Empada de cogumelos e alcachofras” (€9,50).

Nas sobremesas, há um caso sério que pode levar a alguma dependência, mais ainda nesta época natalícia: uma genial e viciante: “Rabanada de brioche e baunilha com maçã assada num gelado” (€5). Imperdível! Aconselha-se reserva, com a garantia de ter sempre disponível estacionamento e serviço de valet parking gratuito, ao almoço e jantar.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!