Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

O Bairro já abriu! “É diferente, mas é do Avillez”

  • 333

Paulo Barata

Abre hoje o novo bairro de Lisboa, chama-se Bairro do Avillez, tem uma mercearia, uma manteigueria, uma taberna e um Páteo. E a assinatura do mais premiado dos chefes portugueses.

Nota-se o brilho, e até mesmo o orgulho, a cada passo que José Avillez dá no novo Bairro do Avilez, no centro da cidade de Lisboa, que hoje abre oficialmente ao público. Cada vez que chama a atenção para um qualquer detalhe, sente-se o orgulho de estar perante um novo projeto, ambicioso como todos os outros, sem aspirações neste caso a qualquer prémio, senão o de servir boa comida.

José Avillez tem razões de sobra para estar satisfeito. O Bairro do Avillez custou a concluir, mas as primeiras indicações dão conta de que vai ser um sucesso absoluto. Não há pratos elaborados, nem esferificações, nem comida para agradar a inspetores, mas há receitas que prestam homenagem à portugalidade, revisitadas, não fosse José Avillez um chefe inconformado e avesso à monotonia. Apesar de apresentar este Bairro como “very atipical”, uma brincadeira para confundir os clientes. Até porque, na essência, nada há de atípico neste bairro.

O espaço do Bairro do Avilez divide-se, para já, em quatro propostas diferentes. Uma mercearia, logo à entrada, onde os produtos aprovados pelo chefe estão à venda, e uma taberna, igual às tradicionais de Lisboa, com os tradicionais petiscos pensados para a partilha, desenhados por José Avillez.pipocas de coirato picantes (€2), azeitonas explosivas XL (€2,50), e empadas de cozido à portuguesa (€4,50), uma seleção de queijos ou de charcutaria (€10), três tipos de presunto (a partir de €8,50) e uma sanduíche de leitão com pickles de algas e salicórnia (€9).

Logo a seguir, depois de passar pela Manteigueria Silva (a única colaboração externa deste bairro), entra-se no Páteo, onde a ideia é a partilha, o convívio e a boa disposição. Há mariscos, sopas, pratos vegetarianos, saladas, pratos de peixe, carne e sobremesas. Seja a que horas do dia for (entre as 11h00 e as 24h00), há sempre um petisco pronto a sair ou algo mais retemperador, sempre com a portugalidade associada. Tente-se por um atum grelhado com batatas «de cu p’ró ar» (€22), um generoso bife grelhado nas brasas servido com um picadinho algarvio e batatas avinagradas, ou com um bife da vazia maturada (€24,50), macio e de sabor intenso grelhado nas brasas, com molho béarnaise.

Em breve, o Bairro do Avillez vai receber um acrescento. Um espaço diferente, com carta mais criativa, do qual o chefe não revela mais pormenores. Nem precisa. Para já este é o foco principal da atenção de José Avillez, que tem a noção de que cada cliente vai cruzar as portas do número 18 da Rua Nova da Trindade, vai chegar com expectativas altas. Por isso afirma que este Bairro ““É diferente, mas é do Avillez”. Tem 300 lugares e 80 colaboradores e dezenas de propostas gastronómicas que vão, de certeza, agradar a cada cliente. Este Bairro do Avillez vai, com toda a certeza, ser o bairro mais popular de Lisboa.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!