Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Tascas e tabernas: Volta a Portugal em copos e petiscos

  • 333
Taberna do Quinzena
1 / 14

Taberna do Quinzena

2 / 14

Tasquinha do Oliveira
3 / 14

Tasquinha do Oliveira

4 / 14

Taberna do Adro
5 / 14

Taberna do Adro

Taberna do Carró
6 / 14

Taberna do Carró

Taberna do Arrufa
7 / 14

Taberna do Arrufa

Tasca do Petrol
8 / 14

Tasca do Petrol

Taska Comeres Algarvios
9 / 14

Taska Comeres Algarvios

Taska Quim Barbeiro
10 / 14

Taska Quim Barbeiro

Tasquinha D. Maria
11 / 14

Tasquinha D. Maria

Tasquinha do Fumo
12 / 14

Tasquinha do Fumo

Tasquinha do Matias
13 / 14

Tasquinha do Matias

Tasca Maria Faia
14 / 14

Tasca Maria Faia

Não há terra que não tenha pelo menos uma. Conheça as melhores tascas e tabernas nacionais, segundo as avaliações realizadas pelo guia Boa Cama Boa Mesa

Não há terra que não tenha pelo menos uma. Conheça as melhores tascas e tabernas nacionais, segundo as avaliações realizadas pelo guia Boa Cama Boa Mesa

Habitualmente locais de petiscos e copos de vinho, hoje, as tascas e as tabernas são também sinónimo de boa comida e boa bebida servidas como manda a tradição. Muitas oferecem toques de modernidade, mas na maior parte desta seleção, preservou-se a decoração típica, sempre que possível com barris e pipas de vinho, mesas com toalhas aos quadrados e bancos corridos para convívio são. Oferecem comida genuína e vinho de qualidade, quase sempre a preços económicos. De norte a sul do país, dê uma volta pelo verdadeiro Portugal das tascas e das tabernas, a partir da edição 2016 do guia Boa Cama Boa Mesa.

Taska Quim Barbeiro
É um espaço minúsculo, mas com imenso carisma. A casa já leva cerca de 150 anos e foi gerida durante 40 por Quim Barbeiro, figura típica da zona. Acabou por fechar e reabrir com a atual gerência, o casal Aniceto e Fátima e o filho João. É um projeto familiar: um corta a carne, outro prepara o leite-creme e o terceiro corta o pão e vem servir à mesa. Na Taska Quim Barbeiro servem-se os mais variados petiscos regionais, do presunto à alheira, mas também pratos como a posta de vitela, o naco na pedra, o arroz de costelinhas e o bacalhau assado. Ao almoço, uma ementa turística em conta (10 euros). Preço médio: €15. Largo da Praça, 15, Vidago. Tel. 967 460 933

Taberna do Carró
Nasceu da necessidade de promover os produtos da região. O pão, a tábua de queijo terrincho, enchidos, alheira, omeleta de espargos silvestres e cogumelos salteados são alguns dos petiscos que antecedem a carne mirandesa na brasa, certificada, com registo de qualidade. A carta de vinhos da Taberna do Carró tem todos os grandes do Douro e ainda algumas preciosidades a bom preço. Mesmo ao lado, no espaço Arte, Sabor e Douro, além de servir para exposições, mostras e degustações, também se vendem os produtos tradicionais e certificados. Preço médio: €15. Largo General Claudino, 24, Torre de Moncorvo. Tel. 279 252 699

Tasquinha do Fumo
O atendimento caloroso, o ambiente rústico e a riqueza gastronómica de pratos ainda confecionados em potes de barro e panelas de ferro fazem desta Tasquinha do Fumo um lugar especial. O aroma dos cozinhados genuínos e caseiros toma conta do espaço, envolvido também pelo fumo da lareira, como uma viagem no tempo e nas memórias. Fumeiro e pataniscas de bacalhau são um bom prelúdio ao cozido à portuguesa da Tasquinha do Fumo, bem como o cabrito, a vitela ou o arroz de cabidela. Só funciona por encomenda e reserva, mas vale bem a pena o esforço e a espera. Preço médio: €15. Almofrela, 1109, Campelo. Tel. 965 814 339

Tasquinha do Matias
Falar da Tasquinha do Matias e não referir os milhos de carne de vinha-d'alhos à Moleiro Henrique é equivalente a nunca ter lá passado. A casa tem vista para a torre e ponte medievais, magnificamente preservadas. Na sala provam-se as iguarias locais, entre milhos, bazulaque à Abade de Cister com miudezas de porco e vitela, cordeirinho no forno de lenha e tripas com feijão branco. Há 30 anos era apenas uma tasquinha. Nos últimos oito anos passou a ser um restaurante incontornável. Preço médio: €15. Lugar da Ponte, Gouviães. Tel. 254 678 241

Tasca Maria Faia
Este é um local obrigatório para quem gosta de petiscos regionais, boas conversas e música tradicional. Foi na localidade de Malpica do Tejo que Zeca Afonso descobriu a cantiga que dá nome ao espaço e nesta Tasca a forma de o homenagear passa, principalmente, pela música que se faz ouvir em permanência, cantada e composta pelo malogrado autor. Mandam as regras que, para começar, tem de provar os lagostins do rio e só depois de se deixar surpreender com o sabor, deve avançar pelas propostas regionais. A jardineira de veado da Tasca Maria Faia e a queixada com osso no forno são opções a ter em conta, bem como o cabrito e o borrego no forno. Preço médio: €15. Rua Marques Diogo, 16, Malpica do Tejo. Tel. 272 913 000

Tasquinha D. Maria
Pode sempre perguntar pela Maria dos Queijos caso se perca a caminho deste restaurante, em plena serra de Aire. Espante-se com as mesas dentro dos lagares onde se pisava o vinho. Aliás, toda a decoração lembra esses tempos, mas também a época em que as tabernas eram local de convívio. Na Tasquinha D. Maria a ementa é variada, mas sempre baseada no carvão, ficando o grelhador à vista, antes de entrar para as várias pequenas salas do restaurante, quase labirínticas. Tem ainda outra curiosidade: aqui é tudo vendido ao peso, exceto os acompanhamentos caseiros. Preço médio: €15. Rua Principal (EN 243), 155, Livramento. Tel. 244 403 115

Taberna do Quinzena
Para quem procura o ambiente tradicional, nada melhor do que instalar-se numa das mesas corridas da "velha" tasca. Tudo se mantém igual, sem cedências: toalhas aos quadrados, cartazes de corridas de touros e o convívio de sempre. Para comer, as opções vão desde o chouriço assado, para entreter, até às favas com enchidos ou o touro bravo. Nos peixes, o bacalhau na grelha é boa escolha. O vinho da Taberna do Quinzena, em honra da tradição, é servido em pequenos copos de taberna e, muitas vezes, diretamente da pipa. Preço médio: €15. Rua Pedro de Santarém, 93-95, Santarém. Tel. 243 322 804

Taberna do Adro
Junto à igreja, a Taberna do Adro é mais uma extensão dessa tranquilidade, de uma serenidade quase palpável. No interior, Maria José de Sousa cumpre o seu sonho de recuperar os pratos tradicionais, que exalam sabores de outros tempos, quando as dificuldades aguçavam o engenho. Definitivamente a não perder é a galinha tostada, um prato que surpreende pela simplicidade e sabores intensos, sempre servido com três migas: couve-flor, tomate e batata ou espargos. A carne de alguidar, o cachaço assado, os vinhos bem escolhidos e as sobremesas típicas são o que de mais verdadeiro se encontra no Alentejo. Preço médio: €25. Largo João Dias de Deus, 1, Vila Fernando. Tel. 268 661 194

Tasquinha do Oliveira
É um caso em que o tamanho não interessa. Com apenas meia dúzia de mesas, mas com a qualidade da cozinha inversamente proporcional: grandiosa na variedade e no sabor. Confeção honesta e de tempero caseiro, que tem nos petiscos a sua imagem de marca. Fala-se dos carapaus fritos, das pataniscas de bacalhau, da perdiz de escabeche ou das saladas de polvo e orelha, que, pelas doses generosas, fazem bem uma refeição. A Tasquinha do Oliveira tem ainda uma garrafeira muito completa, com um serviço de aconselhamento de excelência. Preço médio: €25. Rua Cândido dos Reis, 45-A, Évora. Tel. 266 744 841

Taberna do Arrufa
Imagine uma taberna sem o peso da antiguidade, mas com a mesma vida de outros tempos. Junte-lhe um jovem casal atrás do balcão e um amor incondicional pela tradição e faça o favor de entrar sem cerimónias. É assim a Taberna do Arrufa, ponto de encontro das várias gerações de Cuba e espaço de convívio entre os da terra e os viajantes vindos dos quatros cantos do mundo, curiosos por um bocadinho de história que aqui é servida à mesa, sem pretensões, em pratos honestos, de confeção alentejana, acompanhados de vinho saído diretamente das talhas que ainda decoram o espaço. Preço médio: €15. Travessa das Francas, 3, Cuba. Tel. 967 229 487

Taska Comeres Algarvios
A fama desta casa chegou longe e hoje é habitual ver entrar pelo estabelecimento grupos de japoneses à procura das especialidades da casa, porque o restaurante aparece num guia que os proprietários orgulhosamente mostram, apesar de não entenderem uma linha do que lá está escrito. A Taska Comeres Algarvios começou tudo com um espaço de petiscos, mas depressa evoluiu para este típico restaurante, onde o xerém é o rei da carta. Não deixe de provar a estupeta de atum, o ensopado de cação ou as eirozes fritas com arroz de coentros. Termine com uma musse de alcagoita. Preço médio: €15. Rua do Alportel, 38, Faro. Tel. 289 824 739

Tasca do Petrol
Apesar do caminho sinuoso, serra de Monchique acima, a recompensa surge quando, à beira da estrada, se encontra um dos templos da boa comida algarvia, onde ainda se mantém a confeção tradicional e o receituário de outros tempos. Na Tasca do Petrol, digníssimo representante da cozinha serrana algarvia, o que chega à mesa não tem a pretensão de impressionar, mas é dessa forma que, mesmo sem querer, acaba por fazê-lo. Falamos, por exemplo, do cozido de couve acompanhado pelas tradicionais papas de milho ou do cabrito assado. Não há meias doses, mas, como boa tasca que é, as quantidades podem ser ajustadas à vontade do freguês. Preço médio: €15. EN 267, Corgo do Vale, Marmelete. Tel. 282 955 117

E mais tascas e tabernas:

Taberna A Laranjinha (Covilhã)
Taberna da Maré (Portimão)
Taberna do Alfaiate (Cartaxo)
Taberna do Liberato (Moura)
Tasca (Ponta Delgada)
Tasca das Tiaa (Angra do Heroísmo)
Tasca do Montinho (Avis)
Tasca Literária Dona Joana Rabo de Peixe (Funchal)

E Mais:
Rumo ao sul e ao sol: Os melhores hotéis de Albufeira
Hotéis na Madeira: Onde dormir no Funchal
Moinhos: Experiências únicas com vistas deslumbrantes

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook e no Instagram!