Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Restaurante Eleven: 11 anos e cinco pratos depois…

  • 333
“Lisboa – Jutlândia – A Festa de Babette” ou “Cailles Sarcophage JK 2015”
1 / 10

“Lisboa – Jutlândia – A Festa de Babette” ou “Cailles Sarcophage JK 2015”

Chef Joachim Koerper
2 / 10

Chef Joachim Koerper

Restaurante Eleven
3 / 10

Restaurante Eleven

Raviolis de Mascarpone com trufa branca
4 / 10

Raviolis de Mascarpone com trufa branca

“Lisboa – Rio” ou “Grand Cru Eleven”
5 / 10

“Lisboa – Rio” ou “Grand Cru Eleven”

Robalo com alcachofras e molho de caviar
6 / 10

Robalo com alcachofras e molho de caviar

Carpaccio de gambas do Mediterrâneo com leitão
7 / 10

Carpaccio de gambas do Mediterrâneo com leitão

Restaurante Eleven
8 / 10

Restaurante Eleven

9 / 10

Raviolis de Mascarpone com trufa branca
10 / 10

Raviolis de Mascarpone com trufa branca

No passado dia 11 de novembro, o Eleven, liderado pelo chefe alemão, Joachim Koerper, celebrou 11 anos de cozinha de excelência, com um menu que conta parte da história desta aventura gastronómica.



No passado dia 11 de novembro, o Eleven, liderado pelo chefe alemão, Joachim Koerper, celebrou 11 anos de cozinha de excelência, com um menu que conta parte da história desta aventura gastronómica.

Desengane-se quem imaginar uma festa com muita pompa e muita circunstância. Para celebrar os 11 anos do restaurante Eleven, em Lisboa, o chefe Joachim Koerper apostou numa jantar mais intimista, uma quase reunião de amigos, em que o menu refletiu parte da história deste marcante e várias vezes premiado restaurante (atualmente detém uma estrela Michelin e renovou o Garfo de Ouro, pelo guia Boa Cama Boa Mesa, em 2015). A noite, amena e de céu limpo, ajudou a projetar para as estrelas, o brilho deste espaço e a alegria de Joachim Koerper: “Quando cheguei, há 11 anos, fazia uma cozinha focada no mediterrâneo, hoje acompanho a globalização. Mais do que atingir os meus objetivos, consegui superá-los!” O chefe alemão, que também desenvolve projetos no Brasil, reconhece que, ainda assim, o trajeto não tem sido perfeito e isento de obstáculos, por isso, exalta aquela que considera a sua maior vitória: “A reconquista da estrela perdida, num ano muito complicado para o país (final de 2013).”

Em noite de festa (11/11), foi apresentado um menu especial de cinco pratos, que fizeram “uma trajetória de 11 anos de dedicação ao Eleven”. O primeiro prato, um Carpaccio de gambas do Mediterrâneo com leitão, harmonizado com Paulo Laureano, Reserva Branco, 2014, foi batizado de “Moraira – Coimbra – Lisboa”: “Busquei o ingrediente que me seduziu nesses lugares. De Moraira, a gamba, e de Coimbra, o leitão”, explicou Koerper. Recorde-se que o chefe chefiou durante uma década o restaurante Girasol, em Moraira (Alicante), tendo conquistado duas estrelas Michelin. Como nota adicional, elogie-se a forma como a gamba conquistou o final de boca, mesmo tendo o jovem porco como “inimigo”. O segundo prato servido foi “Lisboa - Moscovo”, composto por Robalo com alcachofras e molho de caviar: “De Lisboa, explorei o peixe, o melhor do mundo, casando robalo com caviar”. Sobre o prato, acrescente-se, que à elegância e exaltação de sabores provocada pelas ovas de esturjão, se juntou a textura crocante da pele do peixe. Para harmonizar, foi servido Chef’s Collection, Reserva, Branco, de 2012, com a assinatura do próprio Koerper.

“Lisboa – Jutlândia – A Festa de Babette”

Aproveitando a época e a grande paixão do chefe alemão, as trufas brancas de Alba foram a estrela da terceira proposta da noite, intitulada “Lisboa – Alba”, devidamente justificada: “Este é um prato inspirado na minha última viagem a Alba. Sempre gostei de trabalhar com este ingrediente magnífico.” Pouco mais se pode acrescentar aos magníficos Raviolis de Mascarpone com trufa branca, laminada no momento, a não ser: “o regresso perfeito de um clássico”. O pairing foi feito com Terras do Grifo, Grande Reserva, Branco, 2013. “Lisboa – Jutlândia – A Festa de Babette”, ou “Cailles Sarcophage JK 2015”, o quarto prato da noite, gerou, desde o início, grande expectativa. Na origem da curiosidade, os três jantares recriados, a partir do filme A Festa de Babette, por Joachim Koerper no Eleven, em 2009, 2013 e em 2014, mais precisamente no dia em que o restaurante celebrou uma década de existência . “Há alguns anos reproduzi o Jantar de Babette e um dos pratos mais apreciados foi a codorniz com foie-gras, massa folhada e trufa preta.” Se na “festa original”, que decorre na pequena aldeia dinamarquesa da costa da Jutlândia, a codorniz surge parcialmente envolvida na massa folhada, que assume a função de sarcófago, desta vez, chegou à mesa, desossada e sem a respetiva proteção que, por sua vez, se apresentou em forma de tosta. Simplesmente, arrebatador, com a devida vénia à codorniz, pouco usada, entre nós, mas com argumentos, mais do que suficientes, para elevar qualquer menu. Ao tinto duriense Quinta da Gricha, 2009, coube a missão de acompanhar este prato.

Neste jantar especial, a sobremesa representou a importância, pessoal e profissional, do Brasil na vida de Koerper. “Lisboa – Rio” ou “Grand Cru Eleven”: “A minha inspiração veio das viagens ao Brasil. Escolhi maracujá, coco e chocolate. Tudo vindo do Brasil.” A harmonização foi feita com Porto Rozés, Vintage, 1997. Para fechar a noite, o Eleven fez ainda a apresentação dos seus novos “petit fours”: “11 anos depois, era hora de mudar”, conclui, Joachim Koerper, ao cair do pano.

Recorde, agora, 10 histórias que marcaram 10 anos de Eleven.

Restaurante Eleven
Rua Marquês de Fronteira - Jardim Amália Rodrigues
Lisboa
Tel. 213 862 211

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook!
*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.