Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Mesa

Cozinha regional: Uma volta a Portugal em 12 restaurantes

  • 333
Restaurante A Escola
1 / 7

Restaurante A Escola

Casa de Souto Velho
2 / 7

Casa de Souto Velho

Cozinha da Terra
3 / 7

Cozinha da Terra

Cruz Sobral
4 / 7

Cruz Sobral

O Mário
5 / 7

O Mário

Cozinha Típica do Montemuro – Mezio
6 / 7

Cozinha Típica do Montemuro – Mezio

Costa do Vez
7 / 7

Costa do Vez

De norte a sul, deixando de parte cidades como Lisboa e Porto, conheça alguns templos da cozinha regional do nosso país.

De norte a sul, deixando de parte cidades como Lisboa e Porto, conheça alguns templos da cozinha regional do nosso país.

Numa época em que todos os olhares e restantes sentidos se aguçam pela cozinha contemporânea, as novas técnicas e a sofisticação da apresentação, o Boa Cama Boa Mesa faz o elogio à excelência da cozinha tradicional de várias regiões. Sem pretensões de eleger os melhores, esta é uma lista de homenagem ao trabalho diário e um roteiro de sugestões para todas as épocas do ano.

Cozinha da Terra
“Esta é a minha casa, nasci aqui.” É uma afirmação que explica muita da magia do Cozinha da Terra. Não é só um restaurante. É a casa de Teresa Ruão. O espaço, rústico e aconchegante, não é muito grande, o que permite que continue a vir às mesas explicar todos os pratos. Privilegia-se a cozinha tradicional portuguesa “saudável”, os produtos frescos e a sustentabilidade. Um festim de coisas boas logo nas entradas: bola de carne, pataniscas, legumes gratinados e cogumelos grelhados. Nos pratos principais, destaque para o polvo salteado em alheira e alhos, bacalhau no pão em cama de legumes, arroz de pato, galo na caçoila em vinho tinto e cabrito assado no forno a lenha. Conquistou um Garfo de Ouro, em 2015. Preço médio: €35. Lugar da Herdade, 8, Louredo. Tel. 255 780 900

Vallécula
A meia dúzia de quilómetros de Belmonte, esconde-se um dos melhores embaixadores da cozinha beirã, graças a Dona Fernanda, cozinheira e proprietária, que para o bem de todos, usa e abusa do dom de transformar excelentes produtos em pratos únicos e cheios de sabor e alma. O espaço do restaurante Vallécula é pequeno, apenas 32 lugares, elegante e até desconcertante, mas após a primeira troca de palavras com Luís Castro, anfitrião e também proprietário, percebe-se que este é um espaço diferente. Os produtos locais, de alta qualidade, ajudam nesta aventura, que começa com um maravilhoso paté de galo e segue com alheira de caça caseira. Galo estufado à moda antiga ou costeletas de borrego com molho de alecrim são obrigatórios. Prove as papas de carolo com mel de rosmaninho e as peras bêbadas. Em 2015 ganhou um Garfo de Ouro, do guia Boa Cama Boa Mesa. Preço médio: €25. Praça Doutor José de Castro, 1, Valhelhas. Tel. 275 487 123

Costa do Vez
Salta à vista, na ementa, um prato com o curioso nome de "Polvo vitela". Na dúvida, entre um prato de mar ou do campo, a explicação é simples: é o melhor polvo e o mais macio. No restaurante Costa do Vez, o octópode, grelhado, vem devidamente acompanhado por batata cozida e legumes. Este é apenas um exemplo da forma como este restaurante trata (bem) a cozinha minhota. Todos os dias tem bacalhau à lagareiro e, do forno, sai um saboroso cabrito assado (aos sábados e domingos, além do excelente cozido. Na ementa, o peixe, vindo diretamente das lotas de Matosinhos e da Póvoa de Varzim, serve-se, essencialmente, grelhado e ao sal. Sugerem-se, para terminar, charutos dos Arcos servidos com laranja e umas sempre gulosas rabanadas. Preço médio: €25. Quinta de Silvares, Arcos de Valdevez. Tel. 258 516 122

Cruz Sobral
Situado no Campo das Hortas, em Braga, o restaurante Cruz Sobral é ponto de passagem obrigatório para os amantes da boa cozinha regional minhota. Está sob comando da mesma linha familiar desde 1929 e a ementa ainda se confeciona no velhinho (mas resistente) fogão a lenha original, verdadeira marca da casa. O bacalhau à nossa moda, vitela e cabrito assado, papas de sarrabulho com rojões à moda do Minho e tripas com mão de vaca são os chamarizes. Mas também pode entrar, sentar-se e pedir um caldo verde acompanhado de chouriço, pão e um bom vinho (há muitos a copo), que não se arrepende. Preço médio: €25. Campos das Hortas, 7/8, Braga. Tel. 253 616 648

Casa de Souto Velho
É um espaço invulgar. Não tem um dia de encerramento porque só abre quando tem clientes. Não tem uma ementa tradicional porque os manjares são preparados de acordo com o que a quinta dá e previamente combinados com os clientes. Convém, por isso, ligar a reservar mesa. O talento a toda a prova de Dona Eufrásia e a simpatia no atendimento fazem da Casa de Souto Velho, um espaço obrigatório a absolutamente singular, com os repastos a chegarem à mesa sem concessões, de travessa cheia e no ponto. O cozido e o arroz de fumeiro à Dona Eufrásia, o galo estufado com cogumelos, o leitão bísaro e a açorda de costelinhas são de chorar por mais. Compotas, queijos, fruta e bolos caseiros compõem o irresistível buffet de sobremesas. Preço médio: €25. EN 311, 12, Souto Velho, Praia de Vidago. Tel. 276 999 250

Toca da Formiga
É em prol de uma gastronomia transparente que o casal Arnaldo e Manuela Azevedo trabalha há mais de três décadas. Referimo-nos ao respeito pela nobreza dos produtos regionais, pela frescura e sazonalidade dos alimentos, numa relação estreita com os produtores. Algumas das referências do restaurante Toca da Formiga são o arroz de entrecosto em vinha-d’alhos, o cozido à portuguesa (no inverno), o naco de boi com queijo da Serra e os peixes do mar, mediante o que existe no mercado (robalo e tamboril são os principais). Como sobremesa, doce de chila e amêndoa e ovos-moles são opções a considerar. Preço médio: €20. Rua Chãos, 516, Ermesinde. Tel. 229 747 485

Cozinha Típica do Montemuro – Mezio
As tradições da Serra de Montemuro estão por toda a parte neste restaurante com cozinha tradicional. Situado à beira da estrada, o restaurante Cozinha Típica do Montemuro – Mezio vale bem uma viagem por pratos de eleição como arroz de feijão com salpicão, servido em taça de barro preto, feijão com couve e carne fumada, moira com entrecosto e hortaliça, e cabrito assado (ao domingo ou por encomenda). A sala é ampla, rústica e pontuada por referências ao burel, ou não pertencesse este espaço à Associação Etnográfica e Social de Montemuro, que tem ao lado do restaurante uma loja de artesanato. Preço médio: €15. Largo Professora Dolores de Jesus, EN 2, Mezio. Tel. 254 689 265

O Valério
Aconselha-se atenção às placas, uma vez que esta casa pode passar despercebida aos menos atentos. Mas, uma vez descoberto o edifício em pedra, onde se instala o restaurante O Valério, o difícil será querer sair, tamanha a variedade e a qualidade da comida servida. A inspiração é claramente a familiar e a atestar o bom caminho seguido por João Valério estão as centenas de fotografias de gente mais ou menos conhecida que se rendeu aos encantos gastronómicos da casa. As codornizes fritas são deliciosas, do tamanho certo, sendo igualmente de provar o cabrito assado, o polvo à lagareiro e o javali à moda do lavrador. Tem ainda uma loja onde vende os queijos que são opção de sobremesa. Preço médio: €15. Rua dos Combatentes da Grande Guerra, 48, Mangualde. Tel. 966 073 790

O Mário
O restaurante O Mário é um emblema da região e um embaixador da cultura (não só gastronómica) da Beira Interior. Almoçar ou jantar neste restaurante é ficar a saber mais, é ficar mais rico. Na imensa carta existem sempre opções sazonais (míscaros, lampreia, caça…) e muitas especialidades regionais, da tiborna de bacalhau ao arroz de carqueja, passando pelo cabrito, pelo bucho e pelo javali. Haja estômago e não se distraia com as excelentes entradas. Já no final, e depois de ajudado na escolha dos vinhos que preenchem a imensa garrafeira, tem sempre um pastel de nata de cereja do Fundão ou as tradicionais papas de carolo. Preço médio: €20. EN 18, Cruzamento de Alcaria, Alcaria. Tel. 275 750 001

A Lúria
Quando há clientes a percorrer 200 quilómetros por uma simples salada de tomate, é sinal de que o que aqui se serve prima pela qualidade e mais do satisfaz os paladares mais exigentes. Com mais de 30 anos de portas abertas, o restaurante familiar A Lúria oferece boa comida regional, sabores caseiros e serviço simpático, sem cerimónias. Prepare-se para uma refeição demorada. Não deixe de experimentar as especialidades da casa, como a açorda de sável com salada de ovas, o cabrito assado com arroz de miúdos ou a açorda de cogumelos em pão torrado, ideal para acompanhar uma carne grelhada. Preço médio: €20. Rua da Alegria, 34, São Pedro de Tomar. Tel. 249 381 402

A Escola
O edifício não deixa dúvidas: permanece tal e qual como era quando ali funcionava uma escola primária com meninos e meninas em animadas correrias. Ainda tem um parque infantil, mas hoje é só para entreter as crianças enquanto os pais recuperam da refeição. E que refeições aqui se fazem! A comida do restaurante A Escola é genuinamente alentejana, feita com o saber e a experiência de quem gosta de andar entre tachos e panelas e se socorre apenas dos melhores ingredientes. Prove as entradas, o ensopado de cherne e, não hesite, decida-se pelas empadas de coelho bravo. A carta tem mais de 1200 vinhos, entre brancos e tintos. Preço médio: €20. EN 253, Cachopos, Alcácer do Sal. Tel. 265 612 816

Tomba Lobos
José Júlio Vintém, um dos chefes de referência do Alentejo, voltou às origens e, na casa que lhe deu nome e fama, faz aquilo que sabe melhor: receber bem e dar a provar bons pratos alentejanos, em versão petisqueira (pétalas de toucinho, mioleira com rim, escabeches variados, orelha e focinho de porco), mas também com pratos substanciais, como a açorda de fraca no forno, as queixadas de porco ou o rabo de boi guisado. Os vinhos alentejanos dominam a garrafeira do restaurante Tomba Lobos, com boa oferta a copo. Antes de sair, passe na sala de café e bar e leve uns enfrascados de perdiz ou de coelho para, mais tarde, matar saudades do Tomba Lobos. Preço médio: €20. Bairro da Pedra Basta, 16 R/C, Portalegre. Tel. 245 906 111

Versão adaptada de texto publicado no Expresso Diário de dia 12 de novembro de 2015.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook!
*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.