Boa Cama, Boa Mesa

Siga-nos

Perfil

Perfil

Boa Cama

A infâmia do Intendente a dois tempos: Visita guiada pelo 1908 Lisboa Hotel

  • 333

1908 Lisboa Hotel

Mario Joao

Um dos edifícios mais bonitos de Lisboa renasceu da ruína para agitar a esquina principal do Largo do Intendente. É hotel, restaurante e documento histórico, já que nele se conta a história de um dos episódios mais rocambolescos da História de Portugal.

É um daqueles casos em que, como a galinha, não se sabe o que nasceu primeiro, o restaurante Infame e depois o 1908 Lisboa Hotel ou vice-versa? Para o caso não é relevante até porque a história do edifício que ocupa a esquina principal do Largo do Intendente é um compêndio que não se encerra nas propostas hoteleira e gastronómica. O tempo foi generoso e encarregou-se de o manter intacto, a História encarregar-se-á de o preservar.

Há muitos anos que o edifício centenário pedia uma intervenção que o salvasse da ruína. Aconteceu finalmente este ano, quando abriu as portas como hotel de charme (desde €130) empenhado em devolver algum glamour a uma das zonas de maior crescimento e gentrificação na cidade.

Reabilitado de forma brilhante pelo arquiteto Pardal Monteiro, o 1908 Lisboa Hotel (Largo do Intendente Pina Manique, 4, Lisboa. Tel. 218 804 008) preserva ainda os detalhes da Arte Nova dentro e fora de portas, e que são enaltecidos pela decoração minimalista apostada em produtos made in Portugal que se vê nos móveis feitos à medida de cada recanto, nas mantas de burel que aconchegam os pés da cama e nas obras de artistas contemporâneos que vão percorrendo os corredores e até o saguão do elevador, criando uma estética arrojada que só acalma dentro dos quartos (são 36), onde impera a elegância subtil de uma decoração simples e confortável, apostada em tons claros, e casas de banho de sonho em lioz, a típica pedra lisboeta.

É difícil eleger um favorito, entre os quartos do 1908 Lisboa Hotel, mas a suíte The King Dome é a indiscutível vencedora não só por ser uma das mais espaçosas, com dois pisos, mas sobretudo pela particularidade de ter acesso à cúpula que marca a esquina do edifício e que oferece uma panorâmica de 180 graus que, dependendo da altura do observador, pode estender-se quase até à Baixa de Lisboa.

No piso térreo do 1908 Lisboa Hotel, com grandes janelas rasgadas para o largo, o restaurante Infame encarrega-se de honrar o património histórico da casa mãe com uma escolha de nome nada inocente e que, no caso, até pode ser interpretado de duas formas. A primeira, e menos acertada, diz respeito à localização, na esquina que acede ao Largo do Intendente, local de infâmias várias ao longo dos últimos anos. A outra, e que é a oficial, remete para as injúrias lançadas por D. Amélia aos assassinos do marido e do filho. Corria o ano de 1908, data que acabou por dar o nome ao hotel que acolhe o restaurante.

A cozinha é aberta para rua, mas da sala não se vê. Dividido em dois pisos, esforça-se, apesar da decoração moderna, por manter as referências à traça antiga do edifício, tanto que até os mosaicos do chão foram recriados a partir dos originais. Sob o comando de Nuno Bandeira Lima (ex-The Insólito), a carta foi buscar inspiração à mescla de nacionalidades que se encontram pelo bairro e por isso mesmo não é de espantar que a refeição comece com umas Pakoras de legumes com maionese de togarashi (€7), para depois entrar pelos pratos de peixe e carne (apenas três opções de cada). O Atum Infame, com guacamole, cevada e papaia verde (€16) é imperdível, bem como o Carré de borrego com puré de pastinaca crocante de grão (€15). Termine com o Parfait de matcha e gelado de líchias (€5), uma sobremesa que se anuncia fresca e equilibrada e que cumpre lindamente aquilo a que se propõe. Garrafeira muito competente, com boas opções a copo. Em alternativa, a carta de cocktails do bar do restaurante Infame é uma perdição.

Mais recentemente, quase em jeito de celebração do verão, o Largo do Intendente ganhou uma esplanada nova apoiada pelo bar do hotel e um novo brunch, que se serve todos os domingos entre as 11h30 e as 16h30, em três variantes, incluindo uma veggie. O menu de brunch para as famílias custa €35 e contempla uma refeição para dois adultos e uma criança, até aos 12 anos.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!